LGPD

Logicalis vai vender Privacy Tools

03/08/2021 09:41

Acordo com a integradora é um grande empurrão para a startup gaúcha.

Marison Souza, COO na Privacy Tools.

Tamanho da fonte: -A+A

A Logicalis, uma das maiores integradoras de tecnologia no país, fechou um acordo com a Privacy Tools, uma startup gaúcha especializada no tema privacidade e segurança de dados, o que se conhece no jargão como “privacytech”.

Ferramentas como a da Privacy Tools estão em alta devido às exigências da LGPD, lei brasileira de proteção de dados aprovada no ano passado e cujas multas passaram a vigorar nesta semana.

Pelo acordo, as empresas vão atuar juntas em projetos, com a  o mapeamento de dados e informações relacionados à legislação, a detecção e execução de mudanças a serem feitas.

“A ferramenta é totalmente modular, permitindo agregar módulos de acordo com o estágio e a necessidade real da empresa. A Logicalis agora pode tirar uma fotografia da companhia, identificar exatamente a fase em que ela está na jornada de adequação à LGPD e a partir daí, contratar somente os módulos correspondentes ao projeto daquele momento, acrescentando os demais módulos posteriormente quando forem necessários, o que valoriza o investimento também”, afirma Marison Souza, COO na Privacy Tools. 

Segundo uma pesquisa divulgada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), em outubro de 2020, 54% das organizações desejam contratar uma consultoria para ajudá-las no processo de adequação à LGPD.

A Privacy Tools é acelerada pela Obr.global, uma consultoria de internacionalização de negócios liderada por Robert Janssen, consultor nessa área para a Softex há duas décadas, membro de diversos grupos anjos do Vale do Silício e vice-presidente de Relações Internacionais da Assespro.

A startup já tem clientes como Grupo E-sales, CRM Piperun, Grupo RBS, Banco RCI e Senff.  No Ceará, em particular, a empresa já atende clientes como a Jereissati Centros Comerciais (JCC) e a Unifor, que tem mais de 25 mil alunos e é a maior universidade privada do Norte e Nordeste.

Os fundadores são Aline Deparis e Marison Souza, ambos também criadores da Maven, uma companhia especializada em ferramentas de publicação digital que, com o tempo, evoluiu para um grupo de empresas que inclui também a Trubr, focada em blockchain.

A LGPD prevê multas de até 2% do faturamento bruto anual, podendo chegar a um máximo de R$ 50 milhões, para vazamentos de dados, um tipo de incidente que tem acontecido um dia sim e outro também no Brasil.

O acordo com a Logicalis deve dar mais alcance para a startup. A integradora tem 6,5 mil funcionários e está acostumada com grandes projetos numa gama ampla de setores.

A Logicalis entrou forte no Brasil em 2008, com aquisição de uma participação majoritária na Promon Tecnologia, já na época uma empresa importante, com um faturamento de US$ 140 milhões em 2007. A Promon era a maior parceira Cisco no país.

Com operações nos cinco continentes e faturamento anual da ordem de US$ 1,5 bilhão, hoje a multinacional tem uma presença importante na América Latina, onde conta com uma equipe de 2,9 mil pessoas em 11 países.

Veja também

SORRIA
Reconhecimento facial X LGPD

A fronteira entre segurança pública e mero interesse é tênue e as decisões judiciais já refletem isso.

LGPD
Frutap protege dados com Privacy Tools

Projeto de governança com a i9Alpha começou no início de 2021.

INFORMAÇÃO
Jota Pro: adequação à LGPD com Dados Legais

A startup carioca tem foco na comunicação entre empresas e titulares de dados.

DADOS
Itaú leva multa de R$ 9,6 mi por privacidade

Ministério da Justiça encontrou problemas na operação de consignado do banco.

LGPD
Farmácias podem pedir seu CPF?

Estabelecimentos precisam explicar de maneira adequada porque estão pedindo a informação.

LÍQUIDOS
Vazamento da Vivo foi um pingo

Operadora revelou que dados de 224 clientes vazaram em 2019 e não 24 milhões.