De Gea não foi transferido. Foto: divulgação.

O Manchester United anunciou esta semana um acordo de outsourcing com a HCL para renovar seus sistemas de TI. A notícia vem no encalço de um fiasco em uma transferência de jogador, cuja operação esbarrou em problemas de documentação e o Windows 95 (isso mesmo).

O clube britânico não mencionou o problema com a venda de seu goleiro David De Gea para o Real Madrid na nota sobre o contrato com a HCL, em que a provedora fará um upgrade em seus sistemas de TI, assim como instalará um laboratório de inovação no estádio Old Trafford. Entretanto, vale a pena explicar a história do Windows 95 primeiro.

Segundo reportagem do jornal The Telegraph, o conturbado processo de negociação entre o time inglês e o Real Madrid se desenrolou durante o domingo passado, 31, último dia da janela de transferência do futebol europeu.

De acordo com o jornal, o Manchester teria complicado a venda de um de seus principais jogadores com idas e vindas de documentação, que envolvia também a chegada de um jogador do clube espanhol.

Segundo reportou o periódico espanhol AS, a gota d'água para o fim da transação foi o envio da documentação final. Segundo fontes no clube merengue, o Manchester United mandou os arquivos em um formato incompatível, que só era possível abrir com o Windows 95, finado sistema operacional da Microsoft.

Na segunda-feira, 01, o Real Madrid chegou a publicar uma nota afirmando que o Manchester United deliberadamente complicou o negócio. O time não fez referência ao assunto do formato dos arquivos.

Entretanto, o anúncio de renovação tecnológica dos "time dos diabos vermelhos" chega em um momento peculiar. Para o diretor de Administração do Grupo do Manchester United, Richard Arnold, o time quer exibir as melhores práticas no setor e gerar novas ideias para o segmento.

"É uma perspectiva muito estimulante e as probabilidades do que podemos realizar são ilimitadas. Através da transformação digital esperamos mudar a maneira pela qual nossos fãs têm experiências e interagem com o Manchester United", afirmou Arnold.

Um dos principais times do futebol inglês, o Manchester United é o terceiro time mais valioso do esporte, com um valor de marca estimado em US$ 1,8 bilhão.

Em Manchester, porém, os vizinhos - e rivais - Manchester City também estão seguindo este caminho. A SAP firmou uma parceria global de marketing e tecnologia com o City Football Group (CFG), empresa responsável pelo Man City.

Pelo acordo, a empresa alemã será a fornecedora oficial de software em nuvem e prestará consultoria na área de tecnologia. O CFG vai utilizar soluções em nuvem da SAP, incluindo o software de RH SuccessFactors, a plataforma de colaboração social SAP Jam e a SAP Simple Finance, soluções que rodam sobre a plataforma Hana.

Além disso, o grupo usará os softwares de analytics da SAP, como o Predictive Analytics e as ferramentas de Business Intelligence SAP BusinessObjects.