A Delloite divulgou a edição de 2018 do ranking das PMEs que mais crescem no Brasil. Foto: Pexels.

A Delloite acaba de divulgar a edição de 2018 do ranking das Pequenas e Médias Empresas (PMEs) que mais crescem no Brasil. Na lista, há 31 nomes do segmento de serviços de TI, uma queda em relação aos anos anteriores.

O ranking de 2017 contou com 37 empresas de TI, enquanto o de 2016 apresentou 41 nomes do setor.

A edição de 2018 da pesquisa contou com a participação de empresas que foram convidadas a responder a um questionário eletrônico e compartilhar suas demonstrações financeiras referentes ao período de 2015 a 2017.

Para entrar no ranking é preciso ter alcançado receita líquida entre R$ 5 milhões e R$ 500 milhões em 2017 e estar em fase operacional, no Brasil, há mais de cinco anos. Além disso,  as empresas não podem estar vinculadas a grupo empresarial com receita líquida igual ou superior a R$ 2 bilhões em 2017.

No levantamento de 2018, responderam ao questionário 258 empresas de todo Brasil. Dessas, 188 atenderam a todos os critérios e 100 foram classificadas para o ranking de maior crescimento.

A líder do ranking em 2018 é representante do setor de TI. A Prime Control alcançou R$ 8,7 milhões em faturamento no ano passado, com crescimento médio de 329,19% nos últimos três anos. Fundada em Curitiba, a Prime Control é especializada na execução de testes e em qualidade de software. Com nove anos de mercado, atende a nomes como Grupo Boticário, BRF, Avianca, Vivo, Magazine Luiza, Bematech, Linx, entre outras.

A Omiexperience ocupa o 3º lugar, com receita de R$ 16,45 milhões em 2017 e crescimento médio de 230,02% desde 2015. A empresa é desenvolvedora do ERP em nuvem Omie,

Na 8ª posição está a Qi Network, da Santa Catarina. A empresa registrou crescimento médio de 112,09% com o faturamento de R$ 6,6 milhões registrado em 2017. Fundada em 2011, a Qi Network é Google Cloud Premier Partner e possui 700 clientes espalhados em todo o Brasil.

A Opah IT Consulting está na 11ª colocação do ranking de PMEs que mais crescem com alta de 95,21%, em média, nos últimos três anos. A companhia obteve receita de R$ 9,7 milhões em 2017. Com 7 anos de mercado, a Opah tem cerca de 100 colaboradores e atua em transformação digital, desenvolvimento de software web e Mobile, além de suporte a produtos de empresas como Oracle, Microsoft e Amazon. 

Já a Teleperformance ficou no 18º lugar, com faturamento de R$ 68 milhões em 2018 e crescimento de 59,38% nos últimos três anos.

Na 22ª posição, a By Seven, de Santa Catarina, registrou alta de 49,07% com o faturamento de R$ 7,1 milhões em 2017. A empresa atua desde 2011 no mercado de TI e trabalha com consultoria em banco de dados, Basis e ATG; soluções cloud; fábrica de software; sustentação de ambientes; consultoria em ERP Oracle; aplicativos Oracle, entre outras áreas.

Já o 24º é da Flex Relacionamentos Inteligentes, que faturou  R$ 498 milhões em 2017, alcançando média de 47,57% de crescimento em três anos. A empresa de contact center entrou em maio no Bovespa Mais, categoria da bolsa de valores brasileira focada em empresas de pequeno e médio porte. A Flex tem 13,5 mil profissionais distribuídos em Santa Catarina e São Paulo.

A Avansys Tecnologia, da Bahia, está na 26ª colocação do ranking. A empresa teve receita de R$ 15,1 milhões em 2017, aumento médio de 45,03% desde 2015.  A Avansys presta serviços especializados de desenvolvimento e manutenção de softwares.

O ranking tem a Segware no 28º lugar. Com faturamento de R$ 13,9  milhões em 2017, a A empresa catarinense focada em software de monitoramento de alarmes obteve crescimento de 43,82%.

Na 29ª posição, a VTEX conquistou receita de R$ 132,1 milhões em 2017, com alta de 42,82% na média dos últimos três anos. A fornecedora de plataforma para e-commerce atende a clientes como Ambev, Electrolux, O Boticário, Nestlé, Alpargatas entre outros.

A Redspark ficou na 31ª colocação com crescimento médio de 40,67% desde 2015 ao faturar R$ 12,5 milhões no ano passado. A Redspark é uma empresa de desenvolvimento digital que atende a clientes como Amil, Mary Kay, Sony, F.biz e Sapient.

O 35º lugar é da Mandic, que faturou R$ 68 milhões em 2015, alta de 37,71%. Com sede em São Paulo, a Mandic tem filiais em Curitiba, Porto Alegre e Rio de Janeiro. A empresa tem 13 mil clientes, 6 mil servidores, mais de 1 milhão de contas de e-mails e 200 profissionais especialistas em cloud computing.

Com faturamento de R$ 10,8 milhões em 2017, a GreyLogix Brasil ocupa a 39ª colocação. A companhia cresceu, em média, 34,42% nos últimos três anos. A companhia catarinense é especializada em automação e controle de processos, engenharia de software, migração de sistemas legados, entre outros.

A Senior Solution ficou na 43ª colocação com um aumento médio na receita de 33,85% desde 2015, alcançado R$ 134,9 milhões no ano passado. A companhia é uma desenvolvedora nacional de aplicativos para o setor financeiro. 

O ranking tem a Dedalus Prime no 47º lugar, com receita de R$ 74,8 milhões em 2017 e crescimento de 30,95%.  A empresa tem parcerias com AWS, Microsoft e Google para oferta de computação em nuvem.

Na 48ª posição, a Soluti registrou receita de R$ 32,9 milhões no ano passado, alta de 30,34% na média dos últimos três anos. A empresa de certificação digital tem sede em Goiás.

A Gemelo ocupa a 52ª colocação com seu crescimento de 29,04% e receita de R$ 24,4 milhões em 2017. Criada em 2001 pela Compaq, a Gemelo nasceu focada em projetos de longo prazo para ambientes de missão crítica. ​Após a fusão HP/Compaq e um management buyout, a empresa passa a ter capital 100% brasileiro. Em 2017, chegou a marca de 40 Data Centers Modulares Seguros Outdoor em produção

O 57º lugar ficou com a DCG, do Rio Grande do Sul, que obteve faturamento de  R$ 12,8 milhões em 2017, alta de 26,15%. O grupo é resultado da reorganização dos negócios da EZ Commerce, a partir da qual a empresa passou a se concentrar em lojas virtuais de pequeno e médio portes.

A Selbetti aparece na 60ª posição a partir de um crescimento de 24,35% e receita de R$ 102,7 milhões em 2017. A empresa atende a mais de 2,1 mil clientes, sendo responsável pela gestão de quase 30 mil equipamentos de impressão. 

O ranking segue com a CTINET na 61% colocação. A empresa obteve faturamento de R$ 16,4% no ano passado, com aumento de 24,28 na média dos últimos três anos. A CTI é especializada em soluções de link dedicado, cloud computing, backup na nuvem e e-mail corporativo.

Na 62ª colocação, a ClearSale é focada em sistemas anti-fraude e registrou receita de R$ 124,4 milhões no ano passado. O crescimento médio desde 2015 ficou em 24,23%

A Neurotech, de Pernambuco, ficou no 67º lugar com aumento de 21,43% na receita nos últimos três anos, Em 2017, faturou R$ 27,6 milhões. A empresa é especializada em gestão de risco e prevenção de fraudes.

A IVIA, na 69ª colocação, teve receita de R$ 50,8 milhões em 2017, com crescimento de R$ 20,65%. Com atuação em serviços de BI, outsourcing e desenvolvimento de software, a empresa tem unidades em Fortaleza, Natal e Recife.

O 72º lugar ficou com a Fóton, que faturou R$ 32,7 milhões no ano passado, alcançando aumento médio de 20,16% desde 2015. A empresa de Brasília nasceu em 1993, com o propósito de oferecer ao mercado brasileiro soluções para automação bancária

Na 76ª posição aparece o Grupo Bexpert com crescimento de 18,44% e receita de R$ 23,3 milhões. A companhia é parceira da Oracle e é especialista na implementação de CRM.

A Máxima Sistemas, de Goiás, ficou na 77ª colocação. A empresa faturou R$ 19,2 milhões no ano passado, crescendo uma média de 18,42% desde 2015. A empresa é especializada em soluções de força de venda ligadas ao ERP WinThor, da PC Sistemas.

O 80º ficou com a CINQ Technologies, que obteve receita de R$ 23 milhões em 2017. A fábrica de software e testes obteve alta de 17,27% na média dos últimos três anos.

A I4pro Informática, na 86ª colocação, registrou faturamento de R$ 34,1 milhões em 2017 e crescimento de 16,34%. Sediada em São Paulo, empresa é especializada em ERP para o mercado de seguros, resseguros, previdência e capitalização.

No 88º está a Apdata, com receita de R$ 56,1 milhões e aumento médio de 16,06%. A companhia é especializada em soluções para gestão de RH. 

A última empresa de TI do ranking aparece na 92ª colocação. A Consinco alcançou crescimento médio de 14,79% nos últimos três anos com a receita de R$ 54,4 milhões conquistada no ano passado. A empresa é provedora de ERPs para varejistas, atacadistas e distribuidoras.