Carlos Gomes é um endereço equivalente à Berrini em Porto Alegre.

A Carlos Gomes, endereço que costumava ser uma grife para empresas em Porto Alegre, incluindo inúmeras consultorias de TI, esvaziou nos últimos anos como consequência da crise econômica.

É o que aponta uma reportagem da Zero Hora, que analisou a disponibilidade de espaço na avenida Carlos Gomes e na rua Dom Pedro II, que juntas somam quatro quilômetros e formam a parte norte da chamada Terceira Perimetral.

O espaço vazio mais óbvio é no nível da rua, uma localização equivalente à região da Berrini em São Paulo, no qual se acumulam 40 espaços vazios, disponíveis para locação entre casas comerciais ou lojas térreas de edifícios.

Nos últimos cinco anos, a oferta de salas comerciais vazias no Petrópolis, bairro nobre da capital gaúcha onde está localizada parte da Carlos Gomes, aumentou 310% pelo levantamento do Secovi-RS, sindicato que representa as imobiliárias, passando de 92 em julho de 2014 para 378 no mesmo mês de 2019. 

O edifício Royal Center, na esquina das ruas Marquês do Pombal e Dom Pedro II, está com o andar térreo desocupado há quatro anos. Do total de 70 salas, metade está disponível.

A área mais cara da cidade sofre mais, mas a tendência de esvaziamento de imóveis comerciais acontece na cidade toda, onde o  número de unidades disponíveis dobrou em um período de cinco anos.

Somando salas, lojas e casas comerciais, existem 6.589 espaços comerciais vagos em Porto Alegre, 96% mais que em 2014.