PROCESSOS

Servidores fraudam RH da Secretaria da Fazenda

03/09/2021 12:23

Modernização no sistema revelou esquema que desviou R$ 2 milhões.

Sistemas manuais da secretaria da Fazenda facilitavam as fraudes. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

Um projeto de modernização nos processos da Secretaria da Fazenda do Rio Grande do Sul acabou revelando um esquema pelo qual servidores públicos embolsavam dinheiro de colegas mortos, em um total de pelo menos R$ 2 milhões desde 2019.

A Polícia Federal esteve na casa de supostos integrantes do esquema, técnicos tributários com salários entre R$ 9 mil e R$ 12 mil, nesta sexta-feira, 3.

Os crimes investigados são de peculato, inserção de dados falsos em sistema de informação e associação criminosa.

O subsecretário do Tesouro do Estado, Bruno Jatene, explicou para o jornal gaúcho Zero Hora como funcionava o esquema.

O dinheiro era oriundo de valores de licenças-prêmio e férias não gozadas por pelo menos 60 funcionários já falecidos da Secretaria da Fazenda, cuja requisição pelos herdeiros já havia prescrito.

O grupo investigado fraudava a documentação, conseguia burlar a regra temporal e pegar os pagamentos.

Isso só era possível porque os processos relativos ao assunto eram até pouco tempo atrás em grande parte manuais. 

Assim, os integrantes do esquema criavam  procedimentos administrativos específicos para que os pagamentos fossem feitos, usando dados de algum parente do funcionário morto, dando poderes para um advogado.

O advogado era falso, mas o número da OAB era real, pertencente a outra pessoa. Por último, o alvará que mandava a Fazenda fazer o pagamento era assinado por um juiz também com nome forjado.

Conforme o subsecretário disse à ZH, a fraude foi detectada em fevereiro durante processo de automatização do cálculo e lançamento de indenizações de licenças prêmio em folha de pagamento.

Foi então que chamaram atenção os  pagamentos feitos com base em lançamentos manuais que deveriam estar extintos.

Naquele momento, em meados de fevereiro, foi aberta sindicância e os suspeitos foram afastados do trabalho. 

Com a conclusão da investigação e abertura de processo administrativo disciplinar (PAD) pela Procuradoria-Geral do Estado, eles puderam voltar ao trabalho, mas foram removidos de setor e ficaram sem acesso aos antigos sistemas. Um terceirizado envolvido foi demitido.

Veja também

TÚNEL
Hyperloop no RS: dá para fazer

Mas custa US$ 7,71 bilhões, aponta estudo de viabilidade da rota Porto Alegre - Serra Gaúcha.

PROBLEMÃO
Tesouro Nacional sofre ataque de ransomware

Incidente aconteceu na última sexta-feira, 13, e foi informado pelo próprio Ministério da Economia.

SEGURANÇA
Detran-SP: vazamento de 2 milhões de dados

Informações como números de documentos e placas de carros estariam entre os itens expostos.

APAGÃO
CNPq restabelece sistemas

A instituição contratou o Serpro para serviços de nuvem e a RNP para contingência de banco de dados.

SEGURANÇA
SUS: Kid Bengala vira pai de Guilherme Boulos

Ministério da Saúde admite que a alteração foi feita por usuário credenciado do sistema.

LICITAÇÕES
Governo aperta Oracle em 32%

Brasília segue espremendo grandes fornecedores de TI para descontar preços. Oracle é o maior até agora.