Nem tudo são sorrisos na vida de Luize. Foto: Divulgação.

Os 76 milhões de brasileiros usuários do Facebook podem ficar sem a rede amanhã, como resultado de uma disputa judicial envolvendo a modelo-atriz-apresentadora gaúcha Luize Altenhofen e um vizinho em São Paulo. 

O juiz Régis Rodrigues Bonvicino, da 1ª Vara Cível de São Paulo, deu o prazo de 48 horas, iniciadas nessa quarta-feira, 2, para que todas as postagens ofensivas da modelo-atriz-apresentadora contra seu vizinho, Eudes Gondim Junior sejam apagadas.

Se a ordem judicial não for cumprida, a informação será oficializada à Embratel, Vivo, Globalcross, Level 3 e Brasil Telecom para que bloqueiem todos os IPs do domínio Facebook.com nos cabos, colocando uma página para esclarecer os usuários. 

O caso iniciou em janeiro quando o cachorro pitbull Ring supostamente atacou Gondin, sua mulher e sua filha de três anos. Godim reagiu batendo com uma barra de ferro na cabeça do animal, que perdeu a visão.

Como costuma acontecer nesses tipos de caso, Altenhofen alega que o cachorro é um santo animal agredido por um vizinho mal intencionado.

A ex-apresentadora, ex-Garota Verão e ex-miss Brasil publicou diversas acusações no Facebook e o vizinho entrou na justiça. Em abril, ele teve uma tutela antecipada para que a rede retirasse os posts de Luize do ar, o Facebook pediu as URLs que deveriam ser apagadas. 

Uma nova ordem judicial foi expedida em junho e como resposta o site disse que não poderia fazê-lo porque o gerenciamento de conteúdo é responsabilidade do Facebook Inc. e do Facebook Ireland, localizados nos Estados Unidos e na Irlanda.  

A negação não agradou o juiz, que colocou no meio da briga de vizinhos/bafafá na Internet as práticas de espionagem dos Estados Unidos e disse que a coisa não ia ficar assim:

“A afirmação, acima transcrita, é uma desconsideração afrontosa à soberania brasileira. É uma desconsideração afrontosa agravada pela notória espionagem estatal, oficial, do governo americano. Impõe-se, portanto, neste contexto, dizer que a ordem de um Juiz de Direito, exarada em um devido processo legal, integra a soberania do país, porque cabe ao Poder Judiciário também zelar por ela”, bradou o magistrado.

Para ele, se o site opera no Brasil, ele tem que estar sujeito às leis do país. 

O caso Altenhofen tem um precedente no Brasil: em 2007, o vídeo da apresentadora Daniella Cicarelli em “momentos íntimos” com o namorado  Renato Malzoni Filho numa praia de Cádiz, na Espanha, ameaçou tirar do ar o Youtube no Brasil.

Malzoni processou o site de vídeos pedindo a retirada da gravação do ar. Argumentos similares ao do Facebook foram esgrimidos pelo YouTube. Muito se falou sobre o assunto, mas o site seguiu no ar.

Será que agora vai?