Telmo Costa apresenta o S/4 Hana Experience.

O Grupo Meta acaba de lançar o S/4 Hana Experience, um modelo comercial que permite aos clientes testarem na prática a nova geração do software de gestão da multinacional com seus próprios dados antes de fecharem uma migração definitiva.

A oferta conta com um workshop de imersão na ferramenta, tutorial de um especialista em SAP e cinco licenças de usuários.

O Grupo Meta, sediado em São Leopoldo, na região metropolitana de Porto Alegre, fez um investimento não revelado em licenças e equipamentos junto à SAP para oferecer essa possibilidade para os clientes.

“A ideia é permitir um cálculo de ROI mais exato, em um processo que envolva as áreas de TI e de negócio dos clientes”, explica Telmo  Costa, CEO do Grupo Meta.

De acordo com Costa “ERP é vendido da mesma maneira há 20 anos” e existe um problema de visibilidade dentro das organizações dos benefícios de implantação, agravados pelo fato da novidade representada pelo S/4.

O S/4 é diferente de seus predecessores na SAP porque roda exclusivamente no banco de dados em memória Hana, o que exige um investimento maior no hardware. A SAP afirma que o investimento se paga com desempenho superior, mas muitos clientes estão aguardando para ver.

Até maio, havia 300 clientes em alguma fase de implantação do novo produto no Brasil, em uma base total de 3,2 mil. 

A SAP tem frisado que o ritmo de adoção é o mais rápido de um software já lançado pela empresa, mas também é verdade que está tomando medidas para acelerar esse processo ainda mais.

Durante o SAP Forum, seu evento mundial realizado em Orlando, a companhia apresentou Value Assurance, um modelo de contração de implementação do sistema de gestão com uma abordagem semelhante ao da Meta no sentido de tranquilizar gestores sobre o ROI.

O Grupo Meta tem uma longa história de serviços de desenvolvimento com tecnologia SAP (16 anos), mas nos últimos seis começou a reforçar sua presença nesse mercado com contratações de executivos experientes e neste ano foi credenciada para vender licenças, fechando o processo ponta a ponta.

A transição para o S/4 é vista pela companhia como uma ocasião que pode reorganizar o mercado de consultorias SAP no país, favorecendo quem estiver mais comprometido com aquela que é a grande aposta tecnológica da multinacional alemã para garantir sua relevância futura.

Nesse processo, o Grupo Meta conta a seu favor com o fato de ter feito uma das primeiras implementações do S/4, no Ceitec, centro de produção de chips do governo federal sediado em Porto Alegre, e agora com o investimento na estratégia Experience.

Um evento sobre a nova abordagem realizado no SAP Labs, centro de suporte e desenvolvimento da SAP em São Leopoldo, atraiu 150 executivos. Durante a conferência da Asug, associação de usuários da multinacional, a Meta vai bater novamente na tecla, com uma das poucas palestras focadas no S/4.

“Queremos ser a principal parceira no país da SAP quando o assunto é S/4”, adianta Costa.

O Grupo Meta tem escritórios em cinco estados no Brasil (Rio Grande do Sul, São Paulo, Paraná, Bahia e Minas Gerais) e um no exterior (Miami, o Grupo Meta oferecendo serviços de TI, em consultoria para negócios (BPM) e em serviços na suíte SAP para 350 clientes. 

Quando o assunto é SAP, a Meta tem os certificados de PQP (programa de acreditação de qualidade mundial SAP, que atesta a qualidade dos projetos SAP já conduzidos e implementados pela Meta), PCoE (habilitação para manutenção de licenças e para atendimento de RFPs e editais que exijam PCoE) e DEMO 21 (certificação que permite à Meta implantar SAP S/4HANA em clientes de todo o mundo).