Diretoria da Auge e consultores da QualityFocus.

A Auge, uma empresa mineira dona de sistemas focados na área ambiental e educacional, acaba de ser certificada MPS.BR nível F.

A avaliação no modelo de qualidade de software brasileiro foi feito pela QualityFocus.

“A implementação teve como objetivos: assegurar a sobrevivência da empresa, desenvolvimento dos negócios, inovação dos produtos e serviços, participação dos colaboradores, retenção da tecnologia e satisfação dos clientes”, afirma Antônio Geraldo Mota, diretor presidente da Auge.

Lançado pela Softex em 2003, o modelo MPS.BR é espelhado nos níveis do CMMI, um padrão internacional de qualidade de software criado pela universidade americana de Carnegie Mellon.

Até o final de setembro, 741 empresas estavam avaliadas em algum nível do programa, que classifica a maturidade das companhias por letras indo de G até A.

Dessas, a maioria (415) está no nível de entrada, o G. Outras 226 estão no nível F, imediatamente superior. No topo da pirâmide estão 10 com nível A e 61 com nível C.

Os sistemas para escolas da Auge estão em 9,7 mil instituições em 1,3 mil municípios brasileiros. Já os ambientais estão em grandes organizações de mineração e siderúrgica como ArcelorMittal e automobilístico como Lumiar.