Miguel Saldivar, CEO da Softtek Brasil.

A Softtek anunciou a criação de um centro global de entrega de serviços em Fortaleza, no Ceará, com a meta de empregar 1,7 mil pessoas até 2018, tornando-se o maior da empresa no país.

O centro é resultado de uma parceria com a Universidade de Fortaleza (Unifor), universidade privada com 25 mil alunos controlada pelo poderoso grupo Edson Queiroz, além das prefeituras de Fortaleza e do governo do Ceará.

A projeção de contratações é uma tacada e tanto para a multinacional mexicana no Brasil. Em agosto do ano passado, a empresa tinha cerca de 1 mil funcionários no país, a maioria deles concentrados em São Paulo.

O governo cearense vai bancar bolsas-auxílio para os estudantes durante o processo de treinamento, máquinas e equipamentos, incentivos fiscais, além de investir e financiar projetos de P&D, explica a Softtek em nota, sem abrir valores. 

Já a Unifor, proverá toda a infraestrutura física para os cursos com laboratórios de capacitação equipados, divulgação dos treinamentos e, em conjunto com órgãos do governo, realizará o processo de recrutamento e seleção dos candidatos.

A empresa não divulgou qual a proporção da mão de obra estará alocada em áreas de pesquisa e quanta desempenhará tarefas de outsourcing de processos de negócios (BPO, na sigla em inglês).

O programa de capacitação será voltado para os alunos do terceiro e quarto ano dos cursos de Tecnologia, Administração de Empresas, Contabilidade e Recursos Humanos da Unifor.

No primeiro ano do projeto estão programadas 18 turmas e 3.120 horas de treinamentos em aula. 

Após as etapas iniciais do programa, quando contratado, o profissional passará para a fase de treinamentos on the job, no qual a Softtek oferecerá acompanhamento e coaching. 

“Nesta etapa, os contratados já são funcionários da empresa e estarão trabalhando em projetos de mercado”, afirma Miguel Saldivar, presidente e CEO da Softtek no Brasil.

Atualmente, a Softtek possui dez centros localizados nos EUA, México, China, Brasil, Argentina, Espanha e Índia. O GDC de Fortaleza será o 11º da companhia.

Este não é o primeiro acordo da Unifor com um grande player do setor de TI. Em julho do ano passado, a universidade lançou em parceria com a IBM Brasil e a Flextronics o BlueLAB, laboratório de pesquisa, desenvolvimento e inovação.

A meta era formar no primeiro ano 240 estudantes em cursos de 300 horas em tecnologias e conceitos como Big Data (Cognos e BI), smarter commerce, Java, DB2 e aplicativos móveis, entre outros.

O investimento anunciado pela Softtek é mais um de uma série de movimentações de empresas de BPO e contact center na região Nordeste do país.

No começo do ano, a AeC, empresa mineira de BPO, anunciou um investimento de R$ 20 milhões na construção de um call center em Juazeiro do Norte, município de 261 mil habitantes no interior do Ceará, distante mais de 500 km da capital, Fortaleza.

A nova unidade na terra de Padre Cícero tem 1 mil PAs e deve gerar três mil empregos diretos e indiretos. Ao todo, a AeC tem cinco centro do gênero pela região.

A empresa não está sozinha no seu movimento de transferir operações para o Nordeste, onde os salários oferecidos pela indústria são mais atrativos e a rotatividade da mão de obra é menor. 

A Contax já tem metade dos seus 92 mil funcionários na região. Fontes da empresa ouvidas pelo Valor Econômico afirmaram que os salários permanecem os mesmos, enquanto a rotatividade diminui de um ano para três ou quatro em média.

O Nordeste representa 12,5% do faturamento do setor de call center no Brasil, que totalizou R$ 12 bilhões no ano passado, segundo Sindicato Paulista das Empresas de Telemarketing, Marketing Direto e Conexos (Sintelmark).

São Paulo ainda representa 60%. A Região Sul como um todo fica em 19,5%.