Activision Blizzard compra criadora do Candy Crush. Foto: divulgação.

A Activision Blizzard vai pagar US$ 5,9 bilhões para adquirir a King Digital Entertainment, desenvolvedora responsável pelo sucesso mobile Candy Crush Saga.

Segundo destaca o Financial Times, a compra é o maior negócio da história recente no segmento de games, superando os US$ 2,5 bilhões que a Microsoft pagou no ano passado pela Mojang, criadora do sucesso Minecraft.

Na Inglaterra, a transação é a maior do setor de tecnologia desde que a HP pagou US$ 11 bilhões pela Autonomy, um negócio que se provou um grande fracasso.

No caso da King, a Activision vai bancar a compra com US$ 3,6 bilhões em dinheiro de fora dos Estados Unidos, cobrindo o restante em dívida que será paga nos próximos anos.

Para especialistas, a aquisição é o movimento mais ousado da publisher de games, conhecida por seus jogos para consoles e franquias como Call of Duty, para vingar no rentável mercado de games mobile.

Em 2014, a King Digital teve uma receita de US$ 2,269 bilhões, baseada essencialmente nas receitas de microtransações dentro do Candy Crush. Por sua vez, a Activision Blizzard teve um faturamento de US$ 4,4 bilhão no mesmo período.

A companhia californiana espera acelerar seu crescimento no mercado mobile. Atualmente, receitas de games móveis representam uma fatia de apenas 13% dentro do faturamento total.

Com o negócio, a Activision pretende também explorar a rede de usuários da King, composta de mais de 500 mil usuários ativos por mês, vindos de mais de 200 países. A companhia espera um ganho de 30% em seu faturamento anual.

“Tirando YouTube ou Facebook, não há uma rede global que tenha uma grande audiência. Temos a oportunidade de explorar a propriedade intelectual da Activision Blizzard e ver se ela funciona dentro desta rede", afirmou Bob Kotick, CEO da Activision.

Riccardo Zacconi, CEO da King, e outros executivos como o diretor criativo Sebastian Knutsson e o COO Stephane Kurgan, permanecerão na liderança da companhia, após assinarem contratos de longa duração com a Activision.

O movimento difere do que a Microsoft fez no ano passado com a sueca Mojang. Após a aquisição, o fundador da companhia, Markus Persson, anunciou sua saída.

Fundada em 2003, a King criou mais de 200 games, mas só atingiu grande sucesso com o lançamento do Candy Crush Saga em 2011. Desde então, a companhia tenta repetir a fórmula bem-sucedida com outros títulos como Bubble Witch e Farm Heroes, preocupada em manter o ritmo de crescimento em meio à estagnação da receita de seu maior sucesso.

No segundo trimestre de 2015, a companhia registrou uma queda de 13% no faturamento em relação ao mesmo período no ano anterior.

Para a Activision, a fusão com a King promete ser uma das mais transformativas para a companhia desde que uniu forças com a Blizzard, responsável pelo sucesso World of Warcraft, até então controlada pela Vivendi Games, em uma transação de mais de US$ 18 bilhões.

Em 2013, com o apoio de um grupo de investimentos composto por Bob Kotick e o grupo chinês Tencent, a Activision Blizzard pagou US$ 8,2 bilhões para comprar a parte da Vivendi.