A AGCO criou uma plataforma que integra dados das suas revendas. Foto: Divulgação.

A AGCO, fabricante e distribuidora mundial de equipamentos agrícolas, quer ampliar sua capacidade de análise de números de mercado a partir da criação de uma plataforma que integre dados das suas revendas.

O chamado DDI (Data Dealer Integration), desenvolvido pela equipe de TI da companhia, padroniza a informação dos números de vendas e estoque de cada concessionária.

A primeira fase do desenvolvimento da plataforma selecionou e homologou a integração dos sistemas de gestão para concessionárias Solutions, Linx, Consystem e CGI.

Com os quatro sistemas, a plataforma cobre até então 40% da sua rede de revendas, formado por 390 pontos de vendas no Brasil.

“Ainda queremos integrar outros sistemas, mas é preciso fazer uma análise das soluções de maior qualidade e fechar parcerias. É preciso um apoio no desenvolvimento por parte das fornecedoras”, relata Felipe Soares, diretor de TI da AGCO América do Sul.

Além do uso do sistema de integração, as concessionárias que não utilizam os softwares compatíveis podem compartilhar informações com a fábrica a partir de uma plataforma online que permite um upload com poucos cliques.

O objetivo da AGCO com a integração é ter mais informações sobre as vendas dos equipamentos para entender o público de cada ponto de venda. A partir desse processo, as concessionárias também recebem relatórios com dados sobre inventário, por exemplo. 

“Informações mais apuradas de negócios efetivados são fundamentais para tomadas de decisão, análise de movimentação do mercado e execução de planos de negócio”, reforça Soares.

O gerente de desenvolvimento de concessionárias da AGCO América do Sul, Luiz Broda, afirma que o projeto permite que a empresa visualiza a realidade comercial das concessionárias em uma perspectiva aperfeiçoada.

“Com esta integração temos a realidade do mercado ainda mais próxima e podemos definir novas ações, por isso é tão importante que a rede de concessionárias mantenha as informações atualizadas conforme ocorrem as vendas”, completa.

Hoje a AGCO conta com plataformas de integração no Estados Unidos e em alguns países da Europa, mas os novos projetos desse tipo serão desenvolvidos a partir do modelo criado no Brasil.

“A forma de integração deste projeto será replicada pela sua simplicidade e o modelo de desenvolvimento com APIs”, afirma Soares.

No início deste ano, a AGCO dos Estados Unidos fechou um projeto de implementação do software de análise de dados Qlik com a gaúcha iMaps, em uma iniciativa que também foi iniciada na operação do Rio Grande do Sul da gigante de máquinas agrícolas. 

A TI local “vendeu” o projeto internamente para a corporação e a iMaps executou o seu quinto projeto na AGCO, sendo este último no headquarter de Atlanta, Estados Unidos. 

Em 2015, o time brasileiro da AGCO emplacou outro projeto global, dessa vez com tecnologia da Atlassian na área de ciclo de vida de aplicações (ALM, na sigla em inglês) e novamente com uma companhia gaúcha, a e-Core.

A AGCO fabrica equipamentos agrícolas em seis fábricas no Brasil e também uma na Argentina para o mercado sul-americano. A companhia é dona de marcas como Massey Ferguson, Valtra, Challenger, Fendt e GSI.