Rodrigo Dantas, CEO da Vindi. Foto: Divulgação.

A plataforma de pagamentos recorrentes Vindi realizou um investimento de R$ 500 mil para absorver a Aceita Fácil, fintech de pagamentos focada em facilitação financeira. 

A empresa prevê que será necessário aplicar, durante 2017, mais R$ 700 mil na Aceita Fácil. 

Com o negócio, o grupo passa a ter capacidade para atender tanto médios e grandes clientes, com a Vindi, e agora pequenos e micros, com a Aceita Fácil. Além disso, soluções com split de vendas também serão contempladas pela união.

“Há algum tempo, micro e pequenos empresários têm nos procurado em busca de um serviço semelhante à sub-adquirência, mas a estrutura da Vindi não comportava esse tipo de demanda. Após fazermos parcerias com os importantes players do mercado, percebemos que seria interessante oferecer este tipo de serviço, por isso procuramos uma startup”, comenta Rodrigo Dantas, CEO da Vindi. 

O investimento acontece pouco após a Vindi completar a rodada Série A, em 14 setembro de 2016, cujo segundo aporte foi de R$ 1,8 milhão do Fundo Criatec2, gerenciado pela Bozano Investimentos. O primeiro aporte foi de US$ 332 mil.

As marcas passam a trabalhar juntas de forma independente, mas dentro do mesmo guarda-chuva.

A AceitaFacil foi fundada em 2013 em São Paulo por Claudio Meinberg como uma solução completa de subadquirentes com o intuito de auxiliar empresas a receber dos clientes. 

O negócio da empresa inclui soluções como emissão de boletos bancários, cobranças nas modalidades simples ou registrado, conciliação automatizada, reemissão ou até reembolso em ambiente unificado. 

A estimativa é que a Aceita Fácil alcance um volume de R$ 70 milhões transacionados por mês nos próximos 12 meses.

A Vindi é uma plataforma de pagamentos recorrentes também fundada em 2013. A carteira de clientes da empresa inclui Buscapé, VivaReal e Wall Street English.