Intel e AMD na briga pelos editais. Foto: divulgação.

Um estudo divulgado esta semana levantou suspeitas sobre a qualidade dos editais públicos para a compra de computadores. Realizado pela consultoria IT Data, o levantamento analisou 930 editais, e constatou que apenas 11 deles não tiveram algum tipo de direcionamento.

Segundo matéria do Convergência Digital, a análise revelou dados preocupantes, com editais fazendo menções diretas a marcas e modelos, com favorecimentos em relação a aspectos técnicos dos produtos exigidos, dando vantagem para a Intel em vez da AMD.

O relatório vem no rastro de uma grande compra conjunta de equipamentos que o governo deve anunciar nas próximas semanas, que deve envolver a aquisição de cerca de 75 mil computadores.

Nos documentos, além das menções diretas a marcas e modelos, também são especificadas com profundidade aspectos mais específicos como núcleos de processamento, tipo de arquitetura, frequência da CPU e memória cache.

Segundo a IT Data, nestes quesitos foi que se observou mais claramente uma tendência favorável aos produtos da Intel, em relação à sua rival no mercado de desktops. Cerca de 40% das menções são à Intel, contra 0,8% da a AMD.

Mesmo quando não é citada a marca diretamente, a descrição do modelo preferido definiu a escolha de marca em 410 editais (44%), onde foi colocada a preferência por processadores Core i3, ou i5 ou i7 - tecnologias patenteadas da Intel.

Segundo a consultoria, os quase mil documentos analisados representm mais de 50% dos equipamentos adquiridos pelo governo em 2012.

Também foram analisados 135 editais para a aquisição de 116 mil notebooks, o que representa cerca de 23% dos mais de 508 mil aparelhos licitados no ano passado. Nos laptops, aparecem marcas Intel em 34,8% e da AMD em 1,5%.