Roberto Medeiros, presidente da ABEMF. Foto: Divulgação.

A Associação Brasileira das Empresas de Fidelização (ABEMF) divulgou o primeiro balanço oficial do mercado de fidelidade no Brasil. Os dados apontam um aumento de 22% no número de cadastros em programas de fidelidade no terceiro trimestre de 2015, na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Os programas alcançaram 67,7 milhões de usuários. As informações são referentes às cinco maiores companhias do segmento: Dotz, Grupo LTM, Multiplus, Netpoints e Smiles, sem eliminar a sobreposição de membros inscritos em diferentes programas. 

O faturamento bruto da indústria de fidelização no 3T15 foi de R$ 1,29 bilhão, valor 25,8% superior ao registrado no mesmo período do ano anterior.

No mesmo trimestre, a quantidade de pontos ou milhas emitidos alcançou 45,2 bilhões, valor 3% superior ao terceiro trimestre do ano anterior. Nos nove primeiros meses do ano, foram acumulados 132,2 bilhões de pontos, o que representa um aumento de 8,8%, na comparação com o mesmo período de 2014. 

As trocas por produtos e serviços também cresceram. Do 3T14 ao 3T15, houve um incremento de quase 14% na quantidade de pontos resgatados, chegando aos 38,7 bilhões no terceiro trimestre deste ano. 

“As pessoas estão cada vez mais atentas e dispostas a aproveitar melhor as vantagens dos programas de fidelidade. Principalmente em momentos de retração econômica, os pontos podem ajudar o consumidor em diferentes resgates, desde uma passagem aérea até itens do cotidiano”, afirma o presidente da ABEMF, Roberto Medeiros.

A taxa de breakage, que indica o percentual de pontos expirados, ficou em 16,6% no 3T15. 

“A constância da taxa de breakage, em torno de 17%, está em linha com mercados mais maduros e é mais uma demonstração do nível de engajamento do consumidor participante de programas de fidelidade”, enfatiza Medeiros.

 AABEMF nasceu em 2014 com o objetivo de debater questões institucionais e regulatórias do setor, representar os interesses de empresas e profissionais, além de fomentar ações para o fortalecimento e aperfeiçoamento contínuo do mercado brasileiro de fidelização.