Yahoo da CEO Marissa Mayer pode ser vendido. Foto: divulgação.

O Yahoo caminha a passos largos para colocar seu nome no mercado, em uma venda para quem dar o maior lance. Com o movimento, diversas empresas já estão sendo listadas como possíveis compradoras da companhia de internet.

Segundo informações do Wall Street Journal, o conselho administrativo do Yahoo promoveu reuniões durante a semana para discutir se seguirá com o spinoff da participação da empresa no grupo chinês Alibaba ou se vende sua divisão de internet, que passa por difícil momento financeiro.

De acordo com o mercado de ações, a operação de internet do Yahoo é avaliada a menos de zero, tirando seus ativos que tem na Ásia com o Alibaba e o Yahoo Japan.

A particpação de 15% do Yahoo no Alibaba tem um valor mais apreciado, em torno de US$ 32 bilhões. A fatia de 35% no Yahoo Japan tem uma avaliação de US$ 8 bilhões.

Entretanto, diferentes analistas apontam que a venda do core business da empresa pode levantar de US$ 1,9 bilhão até US$ 6 bilhões, valores bem abaixo daquilo que a Microsoft ofereceu pelo Yahoo em 2008, que foi cerca de US$ 45 bilhões.

Com a possibilidade de uma venda, nomes como Verizon Wireless, News Corp. e Time Inc. entram em cena como interessados na compra do Yahoo. A mais sugerida é a Verizon, que nos últimos tempos vem investindo pesado em aumentar sua presença no segmento de conteúdo.

Recentemente a companhia pagou US$ 4,4 bilhões pela AOL e, segundo especialistas, uma compra do Yahoo por um preço reduzido poderia ser um complemento interessante para o seu plano de crescimento.

Para os acionistas do Yahoo, uma venda seria uma boa saída para rebater os difíceis últimos trimestres enfrentados. A empresa da CEO Marissa Mayer registrou uma queda de 89% em sua receita nos últimos doze meses.

Mesmo com o cenário financeiro desfavorável, o Yahoo ainda pode ser atrativos para o comprador correto pelo preço correto, já que a companhia ainda tem número altos de acesso e pode reagir com a estratégia correta, segundo a opinião de analistas.

"Para investidores, um Yahoo vendido tem melhores prospectos do que um Yahoo controlado", afirmou Miriam Gottfried, do Wall Street Journal.