O Tribunal de Justiça do Mato Grosso (TJMT) adotou a suíte de soluções de nuvem da VMware. Foto: Divulgação.

O Tribunal de Justiça do Mato Grosso (TJMT) adotou a suíte de soluções de nuvem da VMware com o objetivo de garantir a disponibilidade do Processo Judicial Eletrônico (PJE). O projeto foi desenvolvido pela Compwire.

Além disso, desejava conferir agilidade ao provisionamento de serviços e recursos de TI às outras áreas da instituição. 

O TJMT é o órgão máximo do Poder Judiciário no estado e conta com 260 juízes em atividade. A organização peticiona, em média, 35 mil processos por mês e atende a mais de 30 mil advogados em 274 varas de juizado, distribuídas em 90 comarcas. 

O sistema eletrônico foi criado  há cerca de dois anos no intuito de levar mais agilidade ao julgamento dos processos. 

Para atender aos objetivos de agilidade, o TJMT decidiu criar uma nuvem privada, complementando o projeto de melhoria da infraestrutura que estava acontecendo desde 2011. No entanto, precisava de uma solução que pudesse se adaptar às mudanças e um ambiente que fosse elástico para se adequar à demanda crescente.   

O projeto foi feito em duas etapas. Para otimizar a entrega de infraestrutura como serviço, visando o atendimento aos pré-requisitos técnicos do projeto e da solução, primeiramente, foram necessários investimentos que englobam desde a ampliação do número de licenças a aquisição de novos servidores e storages, os quais estavam no limite de uso.

Como o Tribunal já usava tecnologias da VMware, a evolução da etapa seguinte foi implementar uma plataforma da companhia como base para criação da sua nuvem privada: vCloud Enterprise Suite.  

“A tecnologia conta com uma camada de monitoramento de cada operação e possibilita a mensuração de custos de todo e qualquer serviço virtualizado dentro da infraestrutura”, afirma João Paulo Wagnitz, líder de vendas para N, NE, CO, RJ e ES da Compwire.

O vCloud Enterprise Suite possibilitou agilidade e eficiência, maior previsibilidade e, consequentemente, um melhor planejamento. Hoje, os processos do estado já nascem digitais e o tribunal recebe quase 2 milhões de transações por mês.

“Com a melhoria da infraestrutura, conseguimos aumentar a disponibilidade dos sistemas e elevar o número de processos cadastrados em 14%. Antes, muitas vezes as pessoas começavam a fazer o cadastro e o sistema caia, mas agora funciona 24x7. Com o projeto, nos tornamos referência em inovação e transparência no setor judiciário”, comenta João Thiago Guerra, juiz auxiliar da presidência do TJMT.

Com o vCloud, o tribunal também disponibilizou um portal de serviços de nuvem self-service. Agora, as outras áreas fazem a solicitação de ambientes e máquinas de maneira 100% automatizada por meio de um catálogo com mais de 80 templates pré-estabelecidos.

“Hoje, sabemos quanto custa cada hardware, software e serviços, inclusive terceirizados. Além disso, conseguimos comparar o custo para manter um ambiente na nossa nuvem ou na pública e tomar decisões com base nisso. No futuro, poderemos controlar o investimento em TI, minimizando os custos com equipamentos, além de aumentar a transparência do dinheiro público investido”, comenta Rodolfo Barbosa de Siqueira, gerente de Infraestrutura de TI do TJMT.

Agora, com a mais recente atualização da ferramenta da VMware, o tribunal irá endereçar novas tendências do mercado de TI, como os contêineres.