A AWS está com o novo serviço Amazon Braket disponível apenas para clientes selecionados. Foto: Divulgação.

A AWS acaba de anunciar uma nova oferta para clientes empresariais selecionados, que poderão experimentar serviços em estágio inicial de computação quântica na nuvem.

O novo serviço, batizado de Amazon Braket, está em fase de “preview”. A plataforma permite que os clientes empresariais explorem como eles poderiam utilizar os computadores quânticos a partir de simulações de desenvolvimento e teste de algoritmos quântico. 

A empresa também oferece acesso a diferentes hardwares de computação quântica em estágio inicial de fornecedores como D-Wave Systems, IonQ e Rigetti Computing.

"Os clientes estão pedindo maneiras de experimentar computadores quânticos e explorar o potencial da tecnologia", diz Charlie Bell, vice-presidente sênior da AWS, em comunicado.

A empresa espera lançar o serviço para todos os clientes em 2020.

Uma das companhias que vai aproveitar a nova oferta é a Boeing, que planeja colaborar com a AWS na exploração de aplicativos para computação quântica. A empresa deseja estudar como a tecnologia pode acelerar a pesquisa em ciência dos materiais e atuar na proteção de comunicações.

Bill Vass, vice-presidente de tecnologia da AWS, destaca que a computação quântica também pode ser útil para empresas de transporte e logística, incluindo a Amazon. A tecnologia pode ajudar a encontrar rotas mais eficientes para entregas. 

"A computação quântica tem o potencial de resolver alguns problemas complicados e difíceis de alcançar com os algoritmos atuais nos computadores existentes", completa.

Como parte da estratégia de exploração da computação quântica, a AWS ainda anunciou a abertura do AWS Center for Quantum Computing perto do campus do California Institute of Technology, em Pasadena, na Califórnia. O ambiente vai reunir especialistas da empresa com pesquisadores da Caltech e de outras instituições.

O objetivo do centro é pesquisar tecnologias que permitam que computadores quânticos sejam produzidos em massa, além de identificar aplicativos que podem ser melhor resolvidos em computadores quânticos.

Os computadores quânticos têm o potencial de classificar um vasto número de possibilidades em tempo quase real e chegar a uma solução provável. Enquanto os computadores tradicionais armazenam informações como zeros (0) ou uns (1), os computadores quânticos usam bits quânticos, ou qubits, que representam e armazenam informações como zeros (0) e uns (1) simultaneamente.

Microsoft, Google e IBM são as outras gigantes de tecnologia que já anunciaram projetos de computação quântica, conforme lembra o Wall Street Journal.

A Microsoft e a IBM, por exemplo, também já permitem que as empresas experimentem hardware de computação quântica em suas respectivas nuvens. 

No entanto, nenhum computador quântico de nível comercial foi construído ainda.

A IBM oferece aos clientes acesso a máquinas de computação quântica em estágio inicial através de sua nuvem desde 2016. 

O Google anunciou em outubro um experimento de computação quântica que gerou cerca de 1 milhão de seqüências aleatórias de números em aproximadamente três minutos. Segundo a empresa, o supercomputador convencional mais rápido do mundo teria levado 10 mil anos para concluir a tarefa. No entanto, os cientistas da IBM discordam, dizendo que o projeto poderia ser realizado por um computador tradicional em 2 dias e meio.

A Microsoft apresentou em novembro ferramentas de computação quântica baseadas na nuvem que as empresas podem usar para acelerar os cálculos em computadores clássicos, entre outras ações.