Moacir Marafon, diretor da Softplan/Poligraph. Foto: divulgação.

A Softplan/Poligraph, empresa de Florianópolis especializada em software de gestão, iniciará em fevereiro as operações de uma nova unidade em Lages, no planalto catarinense, com investimento de cerca de R$ 1,3 milhão.

O novo prédio fica a cerca de 200 km da capital do estado e irá começar as atividades focado em desenvovimento Delph e Java, com 21 funcionários.

Conforme Moacir Marafon, diretor da companhia, o plano é abrir novos postos, em novas áreas, ao longo de 2013.

"Já estudávamos há um bom tempo a abertura de uma nova unidade, pois já faltava espaço nas divisões de desenvolvimento e suporte localizadas em Florianópolis", avalia o diretor.

BENEFÍCIOS
Segundo ele, um atrativo para levar parte da divisão de desenvolvimento da empresa para o planalto foram os benefícios oferecidos pelo município.

A empresa está negociando a possibilidade de se instalar provisoriamente na Incubadora MidiLages (Microdistrito de Base Tecnológica de Lages), antecipando a produção e seleção de candidatos.

Além disso, segundo Marafon, a abertura traz oportunidades para os profissionais da região.

De acordo com o executivo, a empresa fez um levantamento e constatou o fortalecimento da região como um polo de profissionais qualificados na área, com cursos e universidades.

"Para ter uma idéia, contamos com vários profissionais de Lages em nossas unidades na capital. Com este novo prédio, podemos evitar este deslocamento, economizando gastos extras que teríamos para alojar estes funcionários", explica.

SOFTPLAN
Esta expansão vem para reforçar o plano da Softplan/Poligraph de crescer o equivalente a 20 anos em cinco, objetivo divulgado pela empresa em 2011, ano em que faturou R$ 98 milhões, 40,41% a mais do que em 2010.

Fundada em 1990, a Softplan atua na área de software de gestão voltada ao segmento governamental, com soluções de gestão pública desenvolvidas para órgãos como os Tribunais de Justiça de São Paulo e Bahia.

Atualmente a empresa conta com cerca de 1,3 mil funcionários, trabalhando com softwares na área de justiça, infraestrutura, projetos de organismos internacionais e indústria da construção.