Baguete
InícioNotícias> Brasil: 2º pior país para negócios

Tamanho da fonte:-A+A

RANKING

Brasil: 2º pior país para negócios

Júlia Merker
// quarta, 04/02/2015 09:34

O segundo relatório anual sobre a complexidade dos negócios do grupo holandês TMF aponta o Brasil como o segundo país mais difícil para as empresas estrangeiras. No ranking anterior, o país ocupava a 17ª posição. O relatório avaliou 81 países com base em métricas de regulamentação e conformidade.

Brasil passou do 17º para o 2º lugar em ranking de complexidade para negócios. Foto: Vepar5/Shutterstock.com

A lista de 2014 levou em conta a legislação tributária, a manutenção de registos, a partilha de informações entre empresas e governo, os requisitos para os acionistas, os processos de documentação e multas e penalidades. 

Também foram analisadas questões atuais, como segurança cibernética, privacidade de dados, leis de propriedade intelectual, entre outros.

A Argentina permaneceu como o país mais difícil do mundo para empresas do exterior fazerem negócios, mantendo o seu título do ano anterior.

O Brasil saltou do 17º lugar em 2013 para o segundo lugar este ano, substituindo a Bolívia, que caiu para o terceiro.

Enquanto o Brasil não tenha enfrentado os mesmos desafios econômicos recentes que a Argentina, o enorme crescimento que vivenciou no início dos anos 2000 desacelerou, gerando preocupações dentro e fora do país.

O país realmente afundou no ranking, porém, com base em sua burocracia, que torna difícil para as empresas estrangeiras entenderem as leis e regulamentos que se aplicam a elas, explica o relatório. 

De acordo com a Forbes, a criação de uma empresa no Brasil pode levar mais de quatro meses, enquanto as licenças de construção levam uma média de 469 dias para serem aprovadas.

"O sistema jurídico do Brasil está aquém dos seus pares regionais e sofre de um elevado nível de burocracia governamental. Isso significa que negociar no país exige conhecimento local para navegar pelos respectivos departamentos governamentais; expertise local para elaborar e apresentar os documentos de forma eficaz; e representação local, a fim de facilitar os envios para as autoridades”, afirma o estudo.

Os outros países latino-americanos incluídos entre os dez primeiros foram o México (6º lugar) e Paraguai (8º). 

Completando o top 20 estão Peru (16º), Nicarágua (17º), Venezuela (18º), Chile (19º) e Equador (20º).

O TMF Group fornece consultoria nas áreas financeira, administrativa, de RH e de mercado de capitais para empresas de todos os tamanhos em 80 países.

Júlia Merker