O curso acontece de março a maio deste ano e será ministrado em inglês. Foto: Pixabay.

O Softbank, fundo japonês por trás de alguns dos maiores negócios recentes no mundo da tecnologia, vai oferecer um curso de inteligência artificial e ciência de dados para desenvolvedores da América Latina.

De acordo com o site Brazil Journal, o programa, chamado Data Science for All (DS4A), é voltado a fundadores e funcionários das investidas do SoftBank, além de candidatos com background em ciência, tecnologia, engenharia e matemática.

Com 300 vagas, o treinamento será baseado em Sāo Paulo, com salas de aula remotas em Bogotá, Buenos Aires e na Cidade do México.

O curso acontece de março a maio deste ano e será ministrado em inglês, todas as sextas e sábados. As inscrições podem ser feitas no site do projeto até 21 de fevereiro.

Ainda de acordo com o site, o SoftBank está subsidiando o custo de montagem do curso, que, mesmo assim, vai custar US$ 5 mil por aluno. As investidas do fundo vão bancar os funcionários que forem aceitos. 

Quem não trabalha terá a opção de pagar somente quando conseguir um emprego na área. O SoftBank também vai oferecer bolsas aos primeiros lugares no processo de qualificação.

“Temos um problema sério aqui: nossas investidas disputam os melhores funcionários com o mercado e muitas vezes entre si. Há muito poucos profissionais disponíveis com background nessa área”, apontou André Maciel, um dos managing partners do SoftBank, ao Brazil Journal.

O programa foi desenhado pela Correlation One, uma empresa de treinamento em ciência de dados, e vai ser liderado por um professor titular de Harvard e assistentes do MIT e Stanford. 

O SoftBank também tem o apoio de organizações como a Microsoft, iNNpulsa Colombia e Laboratório do BID.

Segundo o Brazil Journal, o conteúdo será aplicável ao dia a dia das empresas, com estudos de caso e projetos do mundo real, tendo um impacto mensurável no desempenho operacional das empresas participantes.

O curso deve ser a primeira de diversas iniciativas do SoftBank envolvendo educação e desenhadas para fomentar o uso de inteligência artificial no ecossistema da América Latina.

A Correlation One estima que o Brasil poderia aumentar seu PIB em US$ 430 bilhões até 2035 se o uso da inteligência artificial fosse mais difundido no país, já que a tecnologia tem um impacto direto na produtividade.

Desde que anunciou seu Latin America Fund em março de 2019, o Softbank já fez aportes em 16 empresas e quatro fundos. O fundo espera investir US$ 5 bilhões na região ao longo de cinco anos.

Antes mesmo da abertura do fundo, o fundo já fez três investimentos no Brasil: a 99, na qual fez um aporte de US$ 100 milhões em 2017, e a Loggi, onde liderou uma rodada de US$ 500 milhões em 2018, além de um investimento mais recente na Gympass.

Uma gigante de telecomunicações e internet no Japão, o Softbank tem se destacado nos últimos anos pelos seus investimentos em nível global, através do Vision Fund, um fundo com capital de US$ 100 bilhões.