SEM MEDO

Google torra dinheiro com nuvem

04/02/2021 14:58

Prejuízo da divisão nos últimos três anos foi de US$ 14,6 bilhões. Mas o Google não liga.

Google está no vermelho quando o assunto é nuvem. Foto: Pexels.

Tamanho da fonte: -A+A

O Google está torrando dinheiro para valer para fazer crescer seu negócio de computação em nuvem.

A divulgação de resultados da empresa trouxe pela primeira vez dados relativos ao Google Cloud, revelando um prejuízo acumulado de nada menos que US$ 14,6 bilhões nos últimos três anos.

A boa notícia é que o faturamento está crescendo também, tendo chegado a US$ 13 bilhões em 2020, uma alta de 47% frente ao ano anterior. O prejuízo também cresceu, mas menos, chegando a US$ 5,6 bilhões, uma alta de 30%.

A divisão Cloud inclui as ferramentas de produtividade do Workspace, assim como infraestrutura, plataforma e software como serviço oferecidas no Google Cloud.

O Google está gastando pesado em infraestrutura, contratações de executivos de alto calibre e na formação de um canal de venda no mercado corporativo (a equipe triplicou no período).

O CEO da Alphabet, controladora do Google, Sundar Pichai, revelou a analistas que a empresa fechou alguns negócios acima de US$ 1 bilhão, além de triplicar o volume de contratos de US$ 250 milhões, o que sinaliza que o Google está fechando grandes contratos, por longos períodos de tempo.

Pichai, no entanto, não abriu para quando o Google Cloud pretende entrar no azul.

A comparação inevitável, é claro, é com a AWS, líder de mercado em computação em nuvem, que está no azul faz horas.

Com 9 anos de operação, em 2015, a AWS já dava lucro: US$ 1,8 bilhão, em uma receita de US$ 7,9 bilhões.

A diferença é que, tendo entrado no mercado em 2012, o Google precisa correr atrás da máquina.

Mas o Google tem recursos para tanto. Outra comparação é que quando a AWS estreou, em 2006, a Amazon era uma empresa com faturamento de US$ 486 milhões. 

Em 2012, quando entrou no mercado de nuvem, o Google já faturava US$ 13 bilhões. Assim, a AWS cresceu com recursos relativamente limitados, enquanto o Google pode torrar capital.

E ainda pode. Em 2020, a empresa faturou nada menos que US$ 182,5 bilhões, uma alta de 13%, com lucro de US$ 40,3 bilhões, alta de 17%.

Veja também

PRESENÇA
Azure tem nova região de nuvem no Brasil

Lançamento abre portas para vender nuvem no governo, um segmento no qual a AWS está na frente. 

PRESENÇA
Huawei reforça nuvem no Brasil

Com nova zona de disponibilidade, os chineses querem competir com AWS e Azure.

NUVENS
Mercado Livre roda ERP da SAP no Google Cloud

Gigante de e-commerce até agora só havia divulgado uso da concorrente AWS.

CARREIRA
Oppenheimer, ex-SAP, vai para o Google Cloud

Operação de nuvem do Google segue empilhando contratações de alto perfil na América Latina.

COMUNICAÇÃO
Zoom projeta e-mail próprio

Ganhadora número 1 do boom da videoconferência está de olho em novos mercados.

PARADO
Google fica fora do ar por cerca de uma hora

Status do Workspace aponta que todos os serviços da plataforma foram afetados entre 8h55 e 9h52.

SEGUROS
SulAmérica detecta fraudes com IA

Projeto entregue pela Accenture combina tecnologias como Python, R e H2O. 

TROCA
Jeff Bezos de saída, assume Andy Jassy

Fundador da Amazon será substituído pelo executivo que hoje lidera a AWS.

QUENTE
Agibank cria spin off de tecnologia

HypeFlame nasce com 400 profissionais e receita de R$ 200 milhões.

SALTO
Itaú vai para a nuvem da AWS

Contrato é uma grande mudança de rumos para um dos maiores bancos do país.

DESKTOP
Oncoclínicas: home office com AWS

Com implantação realizada pela CloudIgniter, grupo adotou a solução Amazon WorkSpaces.

RUMOS
AWS, pronta para aceitar o multicloud?

Líder de mercado muda de postura e vai facilitar o uso de outras nuvens em conjunto com a sua.