Ricardo Izar: "Brincadeirinha". Foto: divulgação.

O deputado Ricardo Izar (PSD-SP) pediu a retirada da pauta de votação da Câmara dos Deputados em Brasília do seu projeto que obrigaria criadores de aplicativos a estabelecer seus negócios no Brasil e pagar impostos brasileiros nesta terça-feira, 26.

A medida foi duramente criticada por sujeitar os desenvolvedores a uma carga tributária bem maior, cujo peso inevitavelmente será transferido para os consumidores.

Izar se defendeu dizendo que o objetivo primordial era proteger o consumidor, mas a abordagem não colou.

Hoje, já existem  28 milhões de aparelhos em operação. Segundo levantamento da consultoria GfK, o número cresceu 36% no terceiro trimestre do ano passado.

Dos celulares hoje nas mãos dos brasileiros, um terço já são smartphones. A Samsung já lançou uma previsão apontando que a participação deve superar os 50% até o final de 2013.

Devido aos impostos de importação e aos altos impostos dentro do país, o brasileiro paga caro pelos aparelhos.

Um caso emblemático é o iPhone 5 vendido no país que é o mais caro do mundo. Com preços entre entre R$ 2.399 e R$ 2.999 ele custa cerca do dobro da versão mais barata do mesmo produto nos Estados Unidos, onde o valor é R$ 1.354.

O governo federal arrecadou R$ 116,066 bilhões em impostos e contribuições em janeiro, resultado recorde, segundo a Receita Federal informou nesta segunda-feira, 25.

O número representa alta real de 6,59% sobre igual mês do ano passado.