CLOUD

AWS quer dobrar número de vendedores

04/03/2020 11:21

Estratégia vem após serviços da Microsoft e da Google apresentarem altos índices de crescimento.

A AWS segue como líder absoluta da computação em nuvem, com 32,3% de market share. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Amazon Web Services (AWS) planeja dobrar seu número de funcionários de vendas neste ano, apostando em perfis técnicos. 

Como a empresa não divulga o número exato de sua equipe, estima-se que ele deve estar na casa dos milhares.

Segundo o site The Register, a estratégia teria sido anunciada em uma reunião de vendas em Chicago, nos Estados Unidos, em janeiro. 

A ideia é trazer especialistas em segurança, AI e data analytics para responder perguntas técnicas dos clientes e, assim, vender mais serviços.

A AWS segue como líder absoluta da computação em nuvem, com 32,3% de market share. Enquanto isso, a Microsoft fica com 16,9% e a Google, com 5,8%.

Seu crescimento, no entanto, começou a desacelerar recentemente. Enquanto a Google cresceu 87,8% no ano passado e a Microsoft, 64%, a AWS teve um aumento de 36%, cerca da metade de seu concorrente mais próximo.

Ainda segundo o site, a AWS registrou um maior aumento de receita, com US$ 9,2 bilhões, enquanto a Microsoft faturou US$ 7,1 bilhões.

Enquanto isso, a Google Cloud pretende triplicar o tamanho de sua equipe de vendas como parte de uma reestruturação mais ampla, buscando atrair clientes corporativos e expandir a rede de revendedores.

Na semana passada, a empresa fechou um acordo com o provedor de serviços SADA, para revender US$ 500 milhões em serviços da Google Cloud nos próximos três anos. 

A companhia também planeja investir US$ 10 bilhões em data centers e escritórios nos Estados Unidos durante 2020.

O The Register também afirma que a Microsoft mudou seu foco para atingir agressivamente os clientes de nuvem da Amazon.

No ano passado, a empresa venceu da AWS para fornecer soluções de TI para o Departamento de Defesa dos Estados Unidos por uma década. O contrato de US$ 10 bilhões visa transferir os dados militares americanos para a nuvem. 

A AWS recorreu da decisão e conseguiu uma pausa no acordo até que os tribunais decidam se ela foi justa ou não.

Ainda segundo o site, as novas contratações constituem a primeira mudança de vendas na AWS em vários anos. Até agora, o gigante da nuvem se concentrava na venda de serviços, como servidores e armazenamento em nuvem. 

Agora a empresa estaria mudando o foco para produtos acabados, como o Pinpoint, que ajuda a gerenciar campanhas de marketing, e o Fraud Detector, um serviço que a empresa está testando para detectar fraudes on-line. 

Em janeiro, a Amazon divulgou uma receita de US$ 280,5 bilhões em 2019, um aumento de 20% em relação ao ano anterior. Cerca de um décimo disso veio da AWS, que gerou US$ 35,03 bilhões.

Veja também

PLAYER
Capgemini e Audi: joint venture foca SAP

Companhias criaram empresa misteriosa para projetos  de nuvem e S/4.

NUVEM
Instituto Federal do Piauí usa AWS com Embratel

Instituição é uma das primeiras implementações da mega licitação do ano passado.

VENDAS
Mandic tem novo diretor de negócios

Alexandre Martinez substitui Fábio Braz, que foi para a Spread Tecnologia.

NUVEM
Bravo, ex-ACI, assume Google Cloud

Google segue contratando nomes de peso para sua operação cloud na América Latina.

PROJETÃO
3M migra ERP da SAP para AWS

Gigante industrial vai colocar uma série de sistemas na nuvem em nível global.

INFRA
SKY usa Equinix para conectar nuvens

Maior operadora de TV via satélite do Brasil é cliente do ECX Fabric.

TRAVOU
AWS paralisa contrato da Microsoft no Pentágono

Segue a briga das duas gigantes pela mega licitação de nuvem no valor de US$ 10 bilhões.

MUDANÇA
UOL Diveo agora é Compasso e UD

Companhia se divide em frentes de transformação digital e data center.

VAREJO
Stefanini compra Mozaiko

Startup tem soluções como software de analytics e etiquetas de RFID.

PORTUGUÊS
Amazon premia novas skills para Alexa

Empresa lançou programa para incentivar brasileiros na criação de habilidades.