A AWS segue como líder absoluta da computação em nuvem, com 32,3% de market share. Foto: divulgação.

A Amazon Web Services (AWS) planeja dobrar seu número de funcionários de vendas neste ano, apostando em perfis técnicos. 

Como a empresa não divulga o número exato de sua equipe, estima-se que ele deve estar na casa dos milhares.

Segundo o site The Register, a estratégia teria sido anunciada em uma reunião de vendas em Chicago, nos Estados Unidos, em janeiro. 

A ideia é trazer especialistas em segurança, AI e data analytics para responder perguntas técnicas dos clientes e, assim, vender mais serviços.

A AWS segue como líder absoluta da computação em nuvem, com 32,3% de market share. Enquanto isso, a Microsoft fica com 16,9% e a Google, com 5,8%.

Seu crescimento, no entanto, começou a desacelerar recentemente. Enquanto a Google cresceu 87,8% no ano passado e a Microsoft, 64%, a AWS teve um aumento de 36%, cerca da metade de seu concorrente mais próximo.

Ainda segundo o site, a AWS registrou um maior aumento de receita, com US$ 9,2 bilhões, enquanto a Microsoft faturou US$ 7,1 bilhões.

Enquanto isso, a Google Cloud pretende triplicar o tamanho de sua equipe de vendas como parte de uma reestruturação mais ampla, buscando atrair clientes corporativos e expandir a rede de revendedores.

Na semana passada, a empresa fechou um acordo com o provedor de serviços SADA, para revender US$ 500 milhões em serviços da Google Cloud nos próximos três anos. 

A companhia também planeja investir US$ 10 bilhões em data centers e escritórios nos Estados Unidos durante 2020.

O The Register também afirma que a Microsoft mudou seu foco para atingir agressivamente os clientes de nuvem da Amazon.

No ano passado, a empresa venceu da AWS para fornecer soluções de TI para o Departamento de Defesa dos Estados Unidos por uma década. O contrato de US$ 10 bilhões visa transferir os dados militares americanos para a nuvem. 

A AWS recorreu da decisão e conseguiu uma pausa no acordo até que os tribunais decidam se ela foi justa ou não.

Ainda segundo o site, as novas contratações constituem a primeira mudança de vendas na AWS em vários anos. Até agora, o gigante da nuvem se concentrava na venda de serviços, como servidores e armazenamento em nuvem. 

Agora a empresa estaria mudando o foco para produtos acabados, como o Pinpoint, que ajuda a gerenciar campanhas de marketing, e o Fraud Detector, um serviço que a empresa está testando para detectar fraudes on-line. 

Em janeiro, a Amazon divulgou uma receita de US$ 280,5 bilhões em 2019, um aumento de 20% em relação ao ano anterior. Cerca de um décimo disso veio da AWS, que gerou US$ 35,03 bilhões.