O presidente Túlio Zamin anuncia a nova plataforma de EAD. Foto: Claudio Fachel/Palácio Piratini

O Banrisul lançou na quarta-feira, 03, um programa de educação à distância baseado na plataforma aberta Moodle. Bancado com recursos internos, o projeto irá atender a mais de 11,5 mil empregados do banco.

Usado em universidades, escolas e empresas de 229 países, somando mais de 66,5 milhões de usuários, o software livre adotado pelo banco gaúcho teve desenvolvimento da plataforma de ensino, implantação e criação de conteúdos comandados pela equipe de TI do Banrisul.

De acordo com o presidente do banco, uma das soluções usadas na nova plataforma será apresentada no próximo congresso Moodlemoot Brasil, conferência dedicada a usuários, desenvolvedores e administradores deste ambiente virtual de aprendizagem, que ocorre anualmente também em países como Áustria, EUA, Nova Zelândia, Canadá e Polônia.

“O objetivo da EAD no Banrisul é de melhorar o atendimento ao cliente. Isso ocorre por meio do conhecimento dos produtos e serviços oferecidos pelo banco, com desenvolvimento pessoal e profissional do empregado”, afirma o gerente de Treinamento do Banrisul, Márcio Kaiser.

Segundo ele, oprojeto começa com cursos para empregados das agências e superintendências regionais, assim como das unidades da direção geral.

Em breve, o conteúdo dos cursos já realizados pelo empregado poderão ser acessados fora do ambiente de trabalho através da extranet, ferramenta que está em desenvolvimento, conta Kaiser.

“E, no futuro, a comunidade também poderá acessar alguns destes cursos”, destaca o gerente.

Os treinamentos para funcionários, que serão realizarão em horário de trabalho, abordarão áreas como produtos e serviços, segurança institucional, apoio ao negócio, desenvolvimento pessoal, profissional e gerencial, marketing e vendas, entre outros.

Atualmente, a equipe do Banrisul já disponibilizou na plataforma 13 cursos, enquanto outros 26 estão em desenvolvimento. Além desses, a instituição contratou 51 cursos para desenvolvimento profissional.

“Esta plataforma de ensino é uma evolução tecnológica que vai nos permitir ter maior abrangência, um número maior de pessoas atendidas e gerar maior potência de oportunidade para as pessoas dentro da empresa”, finaliza o presidente Zamin.