Colaboradores podem optar pela ida ao escritório. Foto: Pexels.

A Amazon orientou milhares de funcionários na região de Seattle, nos Estados Unidos, a continuar trabalhando remotamente pelo menos até outubro por conta da covid-19.

Segundo o site Seattle Times, a empresa enviou um comunicado sobre o assunto aos funcionários na última quinta-feira, 30.

Para os que continuam optando em ir ao escritório, a empresa afirmou que está investindo na segurança por meio de distanciamento físico, limpeza profunda e verificações de temperatura, além de disponibilizar máscaras e produtos para a limpeza das mãos.

A primeira recomendação para o home office em Seattle, onde fica a sede da Amazon, foi feita em 4 de março, quando a pandemia do coronavírus estava surgindo na região.

Na época, a Amazon se juntou a outros grandes empregadores, como Microsoft, Facebook e Google, após um funcionário testar positivo para a doença. A orientação foi para que aqueles que pudessem trabalhar em casa, o fizessem.

Desde então, algumas atividades específicas, como a produção de vídeos nos estúdios da Amazon e o desenvolvimento de novos recursos de dispositivos de hardware, estariam prejudicadas com a distância, mas o trabalho em geral estaria conseguindo progredir.

Ainda de acordo com a publicação, restaurantes e lojas que atendem os milhares de programadores, engenheiros e funcionários corporativos na região foram os primeiros a sentir o impacto nos negócios.

A Amazon tomou, então, medidas para apoiar as pequenas empresas em torno de seus escritórios, fornecendo US$ 10 milhões em subsídios e benefícios de aluguel para mais de 800 estabelecimentos.

Além disso, a companhia se comprometeu a continuar pagando as contratadas que empregam cerca de 10 mil pessoas para serviços como limpeza, segurança e recepção.