Executivo recebeu pagamentos por fora. Foto: Pexels.

Michael Kail, ex-vice-presidente de operações de TI do Netflix, foi condenado em 28 acusações diferentes de fraudes e lavagem de dinheiro relacionadas a propinas que o executivo cobrava de fornecedores.

O executivo recebeu pelo menos US$ 500 mil durante o período em que foi responsável por compras de TI na Netflix, entre novembro de 2011 e agosto de 2014, segundo revela o site The Register.

Nos dois contratos que acabaram indo a julgamento, envolvendo companhias pequenas, Kail cobrou porcentagens de 12% e 15% pelas contratações. O executivo também mostrou propostas de concorrentes para as empresas envolvidas no esquema.

O VP inclusive comprou software que a Netflix já tinha, ou que outros funcionários disseram que estava abaixo das expectativas.

Agora o executivo deve ser sentenciado, com uma pena que deve ficar entre 10 a 20 anos.