O Martins Atacadista adotou o SAS Visual Analytics. Foto: Divulgação.

O Martins Atacadista, grupo sediado em Uberlândia conhecido como o maior atacadista-distribuidor do Brasil, adotou o SAS Visual Analytics.

Inicialmente, o sistema foi utilizado em um projeto piloto de business intelligence com exploração de dados da equipe de TI, que necessitava de uma ferramenta para testes e prospecções na área de negócios. 

Desde 2014, a solução incorporou a gestão e operação dos dashboards de análise, substituindo as tarefas do sistema de BI tradicional da empresa.

Após esse projeto, o VA foi disseminado e disponibilizado de forma continua em toda a empresa, trazendo analises para diferentes áreas de vendas e relacionamento com os clientes.

“A interface self-service do VA, de fácil visualização, ofereceu autonomia para análises departamentais e a nível organizacional do cliente, sem a necessidade de empregar grandes esforços em TI”, afirma Enrique Falconi, especialista em soluções de BI do SAS Brasil.

Segundo Nilton Mayrink, CIO da Martins Atacadista, a adoção da tecnologia trouxe uma série de resultados significativos em praticamente todos os departamentos da empresa desde que foi adquirido. O principal deles foi uma redução de 97% no tempo de implementação das aplicações, de três meses para apenas três dias. 

“Com isso ganhamos agilidade na camada de decisões, sem a necessidade de empregar grandes equipes e direcionar recursos a terceiros”, explica. 

De apenas um departamento no projeto piloto, o uso do VA evoluiu para 20 diferentes áreas na empresa e cerca de 650 usuários. Somente na área de negócios, o numero de analistas passou de três para 84 colaboradores, além de expansões em outros departamentos, como marketing e vendas. 

Para os próximos meses, Mayrink espera atingir a marca de 1,5 mil usuários, o que representa cerca de 30% da empresa, com expectativa de atingir todos os funcionários propensos a utilizarem a ferramenta.

A Martins também adotou o SAS Marketing Automation, ferramenta automatizada de geração e gestão de dados para campanhas. 

“Utilizamos a solução para fazer ações segmentadas com os públicos propensos a comprar mais ou adquirir novos produtos, e focar menos naqueles que já comprariam independente da campanha. Com isso, interagimos da melhor forma com os nossos clientes por meio de todos os canais, sejam eles tradicionais ou digitais”, afirma Mayrink.

Segundo Mayrink, o mercado atacadista é altamente competitivo, tanto pela concorrência direta como também pela indireta com os grandes varejistas. Para ele, a principal razão dessa competitividade está na volatilidade do consumidor final, que sofre mudanças comportamentais com frequência e varia o hábito de compras.

Essa competitividade está acelerando a transformação digital dos negócios em ambas as frentes, sejam atacadistas ou varejistas.

“A vantagem de negócios estará cada vez mais no campo de batalha tecnológico, em que a inteligência de dados desempenha papel fundamental”, completa.

No Brasil desde 1996, o SAS conta com mais de 200 clientes, escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília e cerca de 200 colaboradores. O SAS fechou o ano passado com um faturamento de US$ 3,16 bilhões, uma alta de 2,3% em relação ao ano anterior.