Aplicativo vai enviar notificação para quem tiver contato com algum infectado. Foto: Pexels.

O aplicativo Coronavírus SUS, disponível para Android e iOS, foi integrado à API de Notificação de Exposição, desenvolvida pelas empresas Apple e Google para rastrear contatos expostos ao novo coronavírus.

De acordo com o site Mobile Time, o app do Ministério da Saúde agora vai alertar, em até 24 horas, quando uma pessoa com diagnóstico positivo para o novo coronavírus tenha estado próxima a outro usuário. 

Para que a API seja eficaz, quem testar positivo para a Covid-19 precisa inserir o resultado do exame no aplicativo, o que é feito de maneira voluntária e anônima.

O usuário deverá acessar o site validacovid.org.br, onde terá acesso a um token que validará o exame feito, seja ele PCR ou sorológico. A sequência numérica deverá ser digitada no local indicado no app do SUS.

Antes de gerar o token, o Ministério da Saúde afirma que fará o cruzamento entre o exame informado pela pessoa e os registros integrados da plataforma de vigilância, chamada e-SUS Notifica, e da Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS).

Com o token gerado, as informações de contágio são enviadas criptografadas. Dados como nome, localização, CPF ou algum outro que exponha a identidade o usuário não devem ser armazenados.

Para quem tem o aplicativo e não necessariamente testou positivo, o Ministério da Saúde envia uma notificação caso o contato com alguém contaminado tenha acontecido nas últimas horas.

A notificação vai alertar que se trata de uma medida de prevenção e que não necessariamente a pessoa tem a doença, mas é preciso ficar atenta aos sintomas, como febre, tosse, dor de garganta, coriza e falta de ar, e reforçar as medidas de higiene.

Caso o usuário apresente algum sintoma nos 14 dias seguintes, deve procurar imediatamente o serviço de saúde mais próximo.

Na notificação, os usuários não recebem informações de onde ou quando o contato foi feito, evitando possíveis identificações. Todos os dados criptografados são salvos localmente no smartphone e ficam disponíveis na ferramenta durante o período de 14 dias.

A API de Notificação de Exposição usa um sistema identificador descentralizado, que usa chaves temporárias geradas aleatoriamente no próprio dispositivo do usuário. O modelo promete mais segurança para a privacidade dos cidadãos do que os chamados centralizados.

Ela permite que as agências de saúde públicas definam o que significa uma exposição potencial em termos de tempo e distância e podem ajustar o risco de transmissão e outros fatores de acordo com seus próprios padrões.

No caso do Brasil, o governo definiu que o contato deve acontecer por pelo menos cinco minutos e as pessoas devem ter ficado a uma distância entre 1,5 e 2 metros. 

Os dois smartphones precisam ter o aplicativo habilitado para receber a notificação de exposição. Atualmente, o aplicativo Coronavírus SUS está presente em 10 milhões celulares no país.

A partir da definição dos padrões, eles são combinados com os dados do usuário, fornecidos através dos apps individuais, para permitir que as autoridades de saúde pública entrem em contato com os expostos.

Em julho, o Uruguai anunciou que passaria a usar a mesma API agora escolhida pelo Brasil, mesma decisão já feita por países europeus como Alemanha, Suíça, Estônia, Letônia e Itália.

Segundo o MIT Technology Review, até o momento 49 países disponibilizam aplicativos para rastreamento de contatos para sua população. Com o Brasil o número sobe para 50.