O CNPq financia cerca de 84 mil pesquisadores. Foto: Herivelto Batista/MCTIC/divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) restabeleceu parcialmente o funcionamento da plataforma Lattes na noite da última terça-feira, 3, depois de 12 dias fora do ar.

Em nota, a instituição informou que está disponível o acesso aos currículos cadastrados na plataforma por meio de um número de ID que os pesquisadores possuem ou através de uma busca textual no site do CNPq.

Nestes casos, estaria disponível a opção de impressão e download, sem a possibilidade de fazer atualizações dos currículos. A base de dados conta com atualizações feitas até às 18h do dia 23 de julho, dia de início da indisponibilidade dos sistemas.

Segundo o comunicado, o trabalho de restauração dos acessos ainda está em andamento, incluindo novas atualizações da base de dados, como a inserção de fotos e número de citações nos currículos — que devem ser feitas nos próximos dias.

O sites das plataformas Lattes e Carlos Chagas continuam sem acesso na manhã desta quarta-feira, 4.

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) sofre um apagão nas plataformas Lattes e Carlos Chagas, principais sistemas federais da pesquisa brasileira, desde o dia 23 de julho.

De acordo com a Folha de São Paulo, o problema impacta processos rotineiros relacionados ao fomento à pesquisa, como pagamento, renovações de bolsas e prestações de contas, além da  impossibilidade de acesso a editais, como o de bolsas de produtividade em pesquisa.

A única plataforma do órgão em operação seria o site, que é hospedado no servidor central do Governo Federal.

A plataforma Lattes é um banco de dados com todos os currículos de pesquisadores e ações como a aprovação de bolsas dependem da consulta ao sistema. Já pela plataforma Carlos Chagas, se operacionalizam chamadas públicas e editais de fomento à pesquisa, gestão e pagamento de bolsas.

Ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia, o CNPq financia cerca de 84 mil pesquisadores.

Além disso, outros órgãos como a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e agências de fomento ligadas a governos estaduais também realizam operações com auxílio da plataforma Lattes.