DECOLANDO

Lages ganha fábrica de aviões

04/09/2012 11:48

Graciliano Campos. Foto: Filipe Scotti

Tamanho da fonte: -A+A

A Novaer Craft assinou um protocolo de intenções com a Fiesc na segunda-feira, 03, para instalação em Lages de uma fábrica de aviões de pequeno porte com aplicação civil e militar.

A empresa, com sede em São José dos Campos, já desenvolve um protótipo de fibra de carbono, que deve ficar pronto em março de 2013, a ser trabalhado na unidade catarinense.

"Concretizamos uma longa série de entendimentos que tivemos para atrair para Santa Catarina o empreendimento”, afirmou o presidente do Sistema Fiesc, Glauco José Côrte.

Segundo ele, o mercado brasileiro é o segundo maior do mundo para a aviação de pequeno porte, e, no país, o setor aeronáutico emprega quase um milhão de trabalhadores e tem participação de 1% no PIB.

Além disso, é um setor importante para passageiros e cargas, já que 11% do comércio exterior no ano passado foi realizado por avião, conforme Cortes.

No novo projeto, a Fiesc vai investir, por meio do Senai, em torno de R$ 2,4 milhões no segundo semestre de 2012 e primeiro semestre de 2103 na ampliação da unidade Lages, que tem cursos técnicos no segmento de aviação.

A meta é ampliar a oferta, com nível técnico na área de mecatrônica, elevando o número de matrículas em 40% na cidade em 2013, chegando a 2,5 mil.

Entre 2011 e primeiro semestre de deste ano, a entidade formou 140 técnicos em mecânica de aviação no estado, e outros 260 estudantes estão matriculados nos cursos da área.

Além disso, outras 160 matrículas foram registradas desde 2010 nos cursos teóricos de piloto privado.

"A partir do protótipo queremos desenvolver uma indústria, certificar e fabricar duas versões em Santa Catarina. O estado reúne condições para desenvolver um polo de tecnologia aeronáutica”, ressalta o presidente da Novaer, Graciliano Campos.

Conforme ele, na fase de industrialização da aeronave a ideia é implementar um centro de tecnologia de compostos com todos os equipamentos necessários.

"Os aviões vão sair voando da fábrica para seus clientes”, finaliza Campos.

Veja também

Brasil mostra TI para aviação em Dubai

A Stefanini, que mantém operações em São Paulo e São Leopoldo, as paulistas Atech, MC-1 e Plusoft, além de Saipher ATC, de São José dos Campos; Micropower, de São Caetano do Sul; MySky, de Belo Horizonte; e Store, de Barueri, vão demonstrar soluções brasileiras de TI para o setor aeroportuário em Dubai.

Demanda por aviação doméstica cresce

A Anac divulgou na quarta-feira, dia 19, que a  demanda por voos no mercado aéreo doméstico cresceu 31,45% em abril na comparação com o mesmo mês do ano passado.

VANTs já são 31% da força aérea dos EUA

Os aviões não tripulados já representam 31% da frota militar norte-americana, segundo informa um documento publicado pelo site da Wired.

O modelo de aeronave, conhecido também como VANT e drone, faz parte de um mercado em constante expansão.

Em 2005, por exemplo, apenas 5% da frota militar americana era formada por essas aeronaves. Atualmente, há 7.494 drones em operação, contra 10.767 aviões pilotados.

Passagens aéreas 53% mais caras em 2011

Ao longo de 2011, as passagens aéreas ficaram 53% mais caras no Brasil.

O aumento foi apontado pelo IBGE, e atribuído pelo instituto à alta nos custo das empresas aéreas e a forte demanda por voos.

Segundo os técnicos da entidade de pesquisa, essa foi a maior aceleração entre os itens que compõem o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que nesse período foi de 6,50%.

Em 2010, as passagens aéreas subiram 3,17%.

TIC EM SC
Fiesc quer agilidade na Lei da Informática

Em ofício ao ministro da Tecnologia, a entidade destaca que o prazo para a obtenção dos incentivos já passa de 360 dias.

Senai tem R$ 1,9 bi para TI

O BNDES aprovou um empréstimo de R$ 1,5 bilhão para o Senai com foco na formação em TI.

O financiamento, corrigido pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) mais 1,4% ao ano, será amortizado em 12 anos.

No total, será investido R$ 1,9 bilhão – sendo R$ 400 milhões de recursos próprios do Senai – na construção de 53 centros de formação profissional, na compra de 79 unidades móveis e na reforma de escolas.

Senai investirá R$ 1,5 bi em centro de inovação

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) vai investir R$ 1,5 bilhão até 2014 para criar institutos de inovação no país.

Para tanto, a entidade projeta a instalação de 34 novos laboratórios direcionados à promoção da inovação nas empresas, além de apoiar a futura Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), que está entrando em operação.