Depois de investir em tablets, a Positivo vem com smartphones. Foto: divulgação.

A Positivo apresentou esta semana quatro modelos de aparelho celular para declarar a sua entrada no mercado de smartphones.

A linha é composta por dois smartphones Android e dois feature phones com sistema operacional proprietário, um deles com teclado Qwerty e outro com receptor de TV.

Segundo matéria da Exame.com, todos os aparelhos são dual SIMcard, uma preferência de aproximadamente 25% dos usuários atuais, com produção na fábrica da empresa em Curitiba. A data de lançamento ainda não está definida.

A confirmação desse movimento da Positivo veio há duas semanas, quando foi anunciado o acordo entre o grupo e a Qualcomm para licenciamento de tecnologias móveis.

A companhia não forneceu detalhes sobre futuros produtos, perspectivas de vendas ou prazos de lançamentos no segmento. Em nota, a Positivo informou que "retomará oportunamente a divulgação deste tema, em conjunto com o anúncio de sua nova linha de produtos".

Conforme o Estadão, as ações da empresa, que também indicou que atuará no mercado geral de celulares, disparavam 13,72%, a R$ 6,30 , no começo da tarde desta terça-feira, 04.

NOVOS PRODUTOS

O lançamento de smartphones acompanha o plano de expansão da linha de produtos da Positivo.

Egressa do segmento educacional, a Positivo registrou no primeiro semestre deste ano vendas de 1,1 milhão de PCs.

Os novos nichos podem ser uma oportunidade para que a empresa amplie os lucros, que no segundo trimestre de 2012 tiveram expansão modesta, somando R$ 1,6 milhão líquido, o que reverteu prejuízo de R$ 88 milhões do mesmo período do ano passado.

A aposta no incremento da oferta vem sendo trabalhada há algum tempo: em novembro de 2011, por exemplo, a companhia paranaense lançou dois modelos de tablets, o YpY, com sistema Android, tela de 7" e resolução de 1024x768, aos preços de R$ 999 e R$ 1.199.

OPORTUNIDADE
Com a decisão de fabricar celulares, a Positivo se une a outras marcas brasileiras que estão querendo faturar neste mercado, como Gradiente, CCE e Multilaser, aproveitando também as promessas de desoneração do governo federal para smartphones.

A expectativa de crescimento para este ano no país é de 73% sobre 2011, para 15,4 milhões de smartphones, segundo avaliação da empresa de pesquisas de tecnologia IDC.