Lucas de Paula Lima. Foto: divulgação.

A agência digital DBR.ag anuncia investimento de R$ 600 mil no BuyOnSocial (BOS), startup focada em social commerce.

A meta é trabalhar com 400 lojas no primeiro ano e faturar R$ 9 milhões em 24 meses.

Conforme o CEO da empresa, Lucas de Paula Lima, a companhia oferece integração em compra social, levando-a simultaneamente para loja virtual, perfis sociais, mobile e tablets.

"Diversos projetos têm sido lançados nesse segmento, mas nada que leve em consideração a real experiência de compra social, com benefícios coletivos para clientes e lojistas. Criamos algo que permite customização em escala e fácil integração com plataformas de terceiros", destaca Lima.

As primeiras lojas customizadas pelo BOS já saíram: Minina Di MinasSt. Elloy e Maff.

O formato de remuneração inclui setup fee de customização da loja e uma taxa mensal baseada em participação nas vendas.

Com o sistema, as lojas usuárias podem ser acessadas da mesma forma dentro e fora do ambiente social, com possibilidade de layouts exclusivos para cada ambiente, incluindo smartphones e tablets.

Assim, para novos clientes, o produto habilita a fazer negócios pela Internet “em dias”, garante o CEO.

E para quem já tem usa plataforma de terceiros, mas quer ter acesso aos recursos do BOS, a oferta inclui uma família de APIs pronta para as mais diversas integrações.

A plataforma também tem recursos sociais como o Shopping Together, onde uma pessoa conectada pelo celular pode se reunir virtualmente com um amigo do Facebook, por exemplo, para uma compra em grupo com desconto.

“E no caso de dúvida entre produtos, o cliente tem a Comparação Social para obter a opinião de amigos online. Tudo conforme a definição de cada lojista através de um painel administrativo, bem amigável”, finaliza Lima.

Especializada em investimentos em startups, a DBR.ag tem participação em diversas empresas, uma delas a Recomind.net, aplicativo multiplataforma que permite a organização e troca de contatos de profissionais recomendados, como no tradicional boca-a-boca.

BOM MOMENTO
Segundo cálculos da Associação Brasileira de Startups (ABS), o Brasil tem 3,5 mil investidores anjo, atualmente.

Já estimativa da Associação Brasileira de Private Equity & Venture Capital indica que o Brasil deverá experimentar um crescimento de 20% nesse tipo de aporte para negócios em 2012.