Ceitec com novo chip logístico. Foto: divulgação.

A Ceitec anunciou nesta sexta-feira, 04, o lançamento do CTC13001T, seu novo cirtuito integrado, para uso em múltiplas aplicações logísticas, com foco na detecção de violações (Tamper Detection).

Segundo destaca a entidade, o CTC13001T pode ser utilizado em lacres e cadeados eletrônicos, garantindo mais segurança a produtos como embalagens, medicamentos, bagagens aéreas, cargas logísticas e roupas, entre outros.

"O Tamper Detection traz como benefício a possibilidade de aliar todas as aplicações típicas da identificação por radiofrequência (RFID) em UHF com a capacidade de monitorar à distância a integridade do inlay” explica o diretor de Desenvolvimento de Produtos & Negócios da Ceitec, Reinaldo de Bernardi.

O novo circuito está em conformidade com o padrão EPCGlobal Class 1 Gen2, que pode ser utilizado para controle de estoque, acompanhamento de um único item, logística, integridade do produto, segurança e precisão dos dados, entre outras aplicações.

Conforme explica a estatal, a nova versão do chip que será lançada é uma das soluções tecnológicas que poderá ser usada pelas Forças Armadas, promovendo, por meio da tecnologia de rastreabilidade a melhoria do controle de estoque e logística de produtos desse setor.

A oferta da solução para uso militar é uma maneira de fortalecer a posição da Ceitec como uma empresa pública, plano defendido pelo presidente do conselho de administração e secretário de Política de Informática do Ministério da Ciência e Tecnologia, Virgílio Almeida.

A Ceitec foi criada em 2000 e federalizada em 2008. O investimento geral feito até hoje fica em torno de R$ 500 milhões. Em julho, a empresa passou por mudanças com a nomeação de Marcelo Soares Lubaszewski como presidente interino.

Hoje, a fábrica de microcircuitos de Porto Alegre trabalha com tecnologias de 600 nanômetros, usada no Chip do Boi, e 180 nanômetros, que será usada nos passaportes brasileiros a partir de 2014.