Rodrigo Krug. Foto: divulgação.

A portoalegrense Cliever, startup fabricante de impressoras 3D e empresa instalada na incubadora Raiar da PUCRS, recebeu um aporte de valor não divulgado, repassado por oito investidores do estado.

O grupo, formado por IBGEN, Indextech Management, Produttare e os independentes Marcello Beltrand e Taylor Guedes, adquiriu 20% do capital da empresa. O acordo vai além da participação societária, projetando atuar na gestão, no planejamento estratégico e alavancagem de vendas.

Com o investimento, a startup projeta uma expansão em suas vendas, com o plano de comercializar 100 impressoras por mês no primeiro semestre de 2014, com expectativa de alcançar os mercados Europeu e Asiático.

Fundada em 2012, a empresa começou com venda mensal de cinco máquinas, todas elas projetadas e produzidas localmente. Hoje, a empresa comercializa cerca de quinze impressoras ao mês.

Formalizada no final de outubro, a parceria já teve seus primeiros passos, em que os investidores realizaram melhorias no processo produtivo da Cliever. Segundo Rodrigo Krug, diretor da Cliever, foram criados mecanismos para mapear ineficiências e aprimorar práticas de trabalho.

"Alteramos layout da planta industrial e iniciamos produção em série, o que impactou significativamente na produtividade diária", explica Krug.

Segundo destaca a companhia, a CL1, impressora comercializado pela Cliever, é compatível com qualquer software de modelagem 3D, possui impressão em filamento plástico PLA - totalmente biodegradável e feito a partir de amido de milho e cana de açúcar.

Do tamanho de uma cafeteira, a CL1 “imprime” objetos de 18 centímetros de largura por 18 centímetros de comprimento, e 12 centímetros de altura. A “tinta” é um filamento plástico de 3 milímetros que é aquecido e refinado à espessura de 0,3 milímetros.

Depois disso, os objetos são impressos em camada por camada do material aquecido. A impressão pode demorar até 30 minutos.