Missão gaúcha em visita à Hanergy. Foto: Caco Argemi/Palácio Piratini.

A Hanergy, companhia chinesa do setor de energias limpas, mais especificamente de painéis solares, anunciou a instalação de uma unidade no Tecnosinos, parque tecnológico da Unisinos em São Leopoldo.

O acerto foi feito nesta quarta-feira, 04, em Pequim, em uma reunião entre a direção da empresa e integrantes de uma missão gaúcha ao país asiático.Participaram da assinatura o governador Tarso Genro, o secretário da Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico Cleber Prodanov, e a gestora do Tecnosinos, Susana Kakuta.

Fundada em 1994, a Hanergy possui e opera usinas hidrelétricas, eólicas e usinas de energia fotovoltaica no mundo inteiro, com filiais na Ásia, África e Europa, em países como o Reino Unido. Na América Latina, a multinacional já atua no Chile.

A planta da Hanergy no Tecnosinos contará com o apoio do Programa Gaúcho de Parques Tecnológicos e Incubadoras (PGTEC), que financia parte da instalação. Embora valores de investimento não foram divulgados, o plano do governo é receber o projeto até abril de 2014.

Segundo Prodanov, a chegada da empresa é uma aposta ousada que pode dar certo já que o país ainda não conta com produção qualificada no setor de placas solares avançadas.

"Estamos falando de alta tecnologia. Esqueçam os painéis solares instalados em muitas casas. O Brasil ingressará no século XXI da energia fotovoltaica”, destaca Prodanov.

A tecnologia utilizada pela empresa chinesa é baseada no material de película fina, uma solução de maior eficiência energética que mantém a produção constante mesmo com céu nublado, névoa ou em situações de baixa exposição à luz solar.

Além disso, de acordo com Prodanov, a tecnologia também tem um processo de produção mais eficiente que leva muito menos energia para produzir os painéis.

“São inúmeras as aplicações. Essas películas podem ser usadas em prédios ou até mesmo fixadas em vidros para carregar celulares e câmeras fotográficas”, acrescenta o secretário.

Com a chegada da Hanergy, o Tecnosinos reforça sua posição como um produtor de tecnologias de ponta através de alianças com grandes empresas asiáticas.

Este ano, a HT Micron, joint-venture da brasileira Parit com a sul-coreana Hana Micron, anunciou para março de 2014 o início de sua operação para fabriação de semicondutores, em um prédio localizado ao lado da Unisinos.

No espaço de 10 mil m² a empresa espera fabricar até 360 milhões de chips/ano. Até o momento já foram investidos cerca de R$ 110 milhões na nova planta, e mais R$ 260 milhões são previstos para os próximos anos.