Milton Bonservizzi. Foto: divulgação.

A Ativas Data Center, empresa brasileira especializada em infraestrutura e serviços de gestão de TI, anunciou uma série de investimentos para reforçar e automatizar a sua oferta de cloud e aplicações virtualizadas aos clientes.

No decorrer de 2015, a companhia realizou aportes de mais de R$ 10 milhões, com foco no desenvolvimento de novos produtos e melhoria da prestação de serviços de nuvem.

Segundo a empresa, o investimento é reflexo de uma demanda dos clientes, e principal gatilho de crescimento para empresa, que teve um um crescimento de 20% em 2014 e deve superar o faturamento de R$ 70 milhões este ano.

"Iniciamos com uma oferta simples de serviços virtualizados, como banco de dados Oracle e máquinas virtuais VMWare e HyperV, mas registramos um crescimento acentuado nos últimos tempos, o que nos obrigou a investir em orquestração e automação cloud", afirma Milton Bonservizzi, CEO da Ativas.

Para suportar a demanda, a empresa adquiriu nos últimos meses duas soluções para seus data centers: a empresa implementou novos appliances de storage, comprados da NetApp e está fechando com uma multinacional a compra de uma aplicação para orquestração de data center.

Segundo Bonservizzi, aumentar a capacidade de gerenciamento de seus serviços cloud auxiliará na criação de novas ofertas em virtualização, cujo portfólio já corresponde a cerca de 40% do faturamento da empresa - 60% ainda são de host e colocation.

"Com este upgrade, poderemos atender de forma ágil outras demandas de nossos clientes para funcionalidades cloud", explica o CEO.

De acordo com a executivo, segmentos como indústria estão investindo pesado em levar seus ambientes de TI para a nuvem, mas elas contam com serviços de alto valor agregado e desempenho - e é nesse segmento que a Ativas quer ser tornar um dos principais players, com foco em empresas de médio e grande porte.

"Temos um cuidado especial com a parte de consultoria e qualidade de entrega para grandes clientes, então não nos vemos em competição com empresas como AWS ou Microsoft", dispara o CEO.

Entretanto, o executivo reconhece que a briga com grandes nomes é inevitável. Um exemplo é o da IBM, que investiu pesado no país nos últimos anos para entregar serviços de virtualização, tanto em nuvem gerenciada (o que rivaliza com a Ativas), quanto em nuvem pública com o SoftLayer.

Trata-se de um setor em plena expansão. De acordo com o IDC indicam que, a adoção de ambientes virtualizados (público, híbrido e privado) está aumentando 67% ao ano e deve continuar assim pelo menos até 2020.

"No Brasil, os CIOs ainda estão conservadores, mas eles gradualmente estão vendo que não há outra alternativa mais atraente em termos de desempenho ou redução de custos", avalia Bonservizzi.

Controlada pelos grupos Asamar e Cemig, a Ativas oferece serviços focados em infraestrutura e serviços de gestão de TI, contando com um data center em Belo Horizonte e escritórios comerciais em São Paulo, Curitiba e Porto Alegre.