Constantino Bäumle, diretor da Hannover Fairs Sulamérica e CEO da BITS.

A BITS, feira de tecnologia irmã da Cebit que acontece em Porto Alegre de 13 a 15 de maio, mudou as regras em relação ao CIO Project, área exclusiva para gestores de tecnologia dentro do evento.

Agora, as opções de montagem de estande básica e básica plus já garantem luz, internet, ingressos para as palestras da Global Conferences e para o CIO Project.

Em nota, a organização não revela o custo dos estantes ou que tipo de acesso exatamente as empresas terão aos CIOs durante a programação.

O acesso aos gestores antes era restrito a expositores com estantes de maior tamanho ou empresas que pagassem um adicional extra.

O ano passado foi a primeira edição do CIO Project, do qual participaram 15 gestores de TI de todo Brasil. 

O grupo incluiu nomes como Cristian Cavalheiro (Getnet), Jose Antonio Costa Leal (Gerdau), Luiz Paulo Wenzel (Randon S.A), Ricardo Nizoli (Vonpar) e Roberto Woltmann (Sebrae). A meta para 2014 é atrair 40 executivos.

“Esta foi a forma que encontramos de otimizar a participação das empresas nacionais e internacionais e integrá-las mais às atividades, já que a BITS é um espaço para negócios, networking e intercâmbio”, explica Constantino Bäumle, diretor da Hannover Fairs Sulamérica e CEO da BITS. 

A decisão de liberar o acesso aos CIOs é mais um passo no que parece ser uma atitude mais “vai ou racha” em relação a BITS 2014.

Ao longo das três primeiras edições, a feira se manteve estável em cinco mil metros quadrados de expositores, mesmo com meta anunciada de chegar a 10 mil em 2013. O número de visitantes ficou estável entre os 10 mil da primeira edição e os 12 mil da terceira.

No ano passado, durante a abertura da BITS, Bäumle anunciou uma mudança de “posicionamento estratégico” no qual a feira deixaria de focar em venda de metros quadrados para focar em construir um “ponto de encontro onde ideias possam ser trocadas e negócios gerados”.