Bermudas são um alívio para o calor. Foto: .flickr.com/photos/uomoelettrico/

A Totvs libertou o uso de bermudas  de sarja ou jeans para os seus cerca de 5,5 mil funcionários nesta quarta-feira, 05.

Também entraram no pacote camisetas polo, legging, rasteirinhas, sneakers e tênis “neutros”, como sapatênis e All Star. Até então, trajes mais informais eram liberados apenas da sexta-feira.

Basicamente, seguem vetados apenas calções de futebol e chinelos, já que de alguma maneira as pessoas precisam se dar conta que estão no final de semana.

Em nota, a empresa deu uma valorizada na mudança, alinhando o novo “dress code” ao novo conceito de marca, lançado a algumas semanas.

De acordo com a Totvs, o assunto foi discutido pelos colaboradores por meio das redes sociais da empresa e em comitês em São Paulo, Porto Alegre, Joinville, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília.

“A mudança de marca trouxe novos direcionamentos e o jeito de vestir Totvs é reflexo dessa identidade”, diz Alexandre Mafra, vice-presidente executivo e financeiro e de Relações Humanas da Totvs.

Seja pelo motivos que forem, o código de vestimenta das empresas está em discussão no momento em que o Brasil atravessa uma onda de calor.

Janeiro foi o mês mais quente dos últimos 70 anos em várias regiões do país. Com temperaturas acima de 30º, e sensação térmica superior a 40º, a possibilidade de trabalhar de bermuda passa a ser um atrativo.

Muitas empresas de TI, principalmente nas áreas de desenvolvimento de software, já ofereciam a possibilidade. 

É o caso do SAP Labs, centro de desenvolvimento da multinacional em São Leopoldo e da operação da Dell no Tecnopuc. 

Empresas gaúchas como a Kbase e a Dueto, sediadas em Porto Alegre, e a Hbsis, de Blumenau, também já ofereciam a possibilidade.