Equipamentos do Alibaba farão testes em Pequim, Xangai e Guangzhou. Foto: Slavoljub Pantelic/Shutterstock.

O Grupo Alibaba está fazendo suas primeiras entregas com drones na China, enquanto a Amazon, sua rival em e-commerce, se esforça para iniciar um programa semelhante nos Estados Unidos.

O Alibaba se uniu à Shanghai YTO Express Logistics para entregar pacotes de chá de gengibre para 450 clientes chineses que se voluntariaram para os testes de drones. 

É esperado que os equipamentos distribuam pacotes em Pequim, Xangai e Guangzhou, segundo a Bloomberg.

Os vôos, se bem sucedidos e não contestados pelas autoridades, darão à indústria de fabricantes de drones um impulso na China, onde os militares alocam apenas um quinto do espaço aéreo para uso civil. 

A Amazon começou a testar entregas remotas no exterior depois de pedir a Administração Federal de Aviação dos EUA para acelerar as aprovações para testes de drones no estado de Washington.

"A China ainda está na fase inicial de regulamentação sobre o uso comercial de drones, muitas áreas ainda estão completamente em branco. Regulamentos chaves a respeito altitude de vôo, a responsabilidade por acidentes ainda não foram estabelecidas", afirma Zhang Qihuai, um advogado da sede de Pequim da Lanpeng Law Firm, que acredita que o país ainda tem um longo caminho a percorrer antes de ter o uso comercial dos equipamentos liberado. 

Alibaba e YTO disseram ter notificado as autoridades aeronáuticas chinesas sobre os voos, conforme exigido pela regulamentação, e acreditam que as entregas cumpram todas as normas existentes.

Os movimentos dos EUA para restringir drones comerciais têm frustrado os planos da Amazon para enviar pacotes para clientes em 30 minutos ou menos. Caso a China tenha avanços mais rápidos, o Alibaba sairá na frente da rival.

Em termos financeiros, a chinesa está liderando o mercado. Em 2013 o Alibaba movimentou US$ 170 bilhões, valor maior do que os de Amazon e eBay combinados.

Com o IPO do Alibaba, realizado em setembro, a empresa chinesa chegou ao mercado norte-americano com um valor de mercado estimado em US$ 220 bilhões, ficando na frente de rivais como Facebook (US$ 200 bilhões) e Amazon (US$ 150 bilhões).