Lucas Almeida. Foto: divulgação.

A Nexxto, empresa paulista especializada em soluções corporativas para Internet das Coisas, aposta em uma nova plataforma para ganhar mercado. Agora a empresa mira a parte de ativos e inventário com suas soluções de conectividade.

Com o nome Ativis, a solução, baseada em nuvem, usa sensores e identificação via rádiofrequência (RFID) para automatizar processos desenvolvidos de contabilidade, finanças e controladoria das empresas.

Criada em 2010 com o nome de Rfideas, com foco no mercado de identificação por rádiofrequência (RFID), a empresa remodelou sua marca em 2015, se tornando Nexxto e investindo na ampliação de portfólio.

A novidade um evolução do Artis, primeiro produto da empresa, que utilizava rádiofrequencia para o controle de ativos de TI. Agora a companhia pretende expandir o uso desta tecnologia para além dos computadores e sala de servidores.

Atualmente, o segmento de TI soma um total de 150 mil ativos controlados pela solução da Nexxto desde 2012. Com a expansão do produto, a companhia espera chegar a 250 mil ativos controlados ainda em 2016.

O esforço vem no rastro de uma rodada de investimentos que a Nexxto recebeu no ano passado do Fundo de Inovação Paulista (FIP), administrado pela SP Ventures. O valor do aporte não foi divulgado.

Para os próximos dois anos, a companhia estima que o novo produto chegue a representar uma fatia de 30% de seu faturamento total, cujo valor não foi aberto.

Segundo Lucas Almeida, diretor de marketing da Nexxto e um dos sócios da companhia, o Ativis representa a entrada em setores que, até agora, pouco usavam tecnologia em suas práticas diárias.

"É uma mudança, mas o mercado está demandando isso. Além da agilidade nos processos, novas exigências fiscais estão obrigando companhias a reduzir custos e erros e a sair das planilhas e controle manual, assim como ter uma integração rápida com sistemas de gestão, por exemplo", afirma Almeida.

Conforme aponta o diretor de marketing, o pedido por uma solução de controle de ativos mais generalizada partiu da própria base de clientes da Nexxto. Atualmente, a startup conta com cerca de dez clientes de grande porte, entre telecoms, empresas de data center como a Equinix e UOL Diveo, e bancos.

"Já começamos com uma demanda grande dentro de nossa carteira de clientes, mas também faremos esforços para ampliar essa base durante o ano. Já temos cerca de sessenta clientes mapeados e uma expectativa de cinquenta contratos para o ano", diz o empresário.

A implementação inclui a aplicação de etiquetas de RFID em tudo que se pretende monitorar: cadeiras, aparelhos de telefone fixo, computadores, mesas, armários, gabinetes, enfim, em tudo o que é controlado e monitorado pela contabilidade da empresa e necessite ser mantido dentro dos limites da companhia.

Ao falar do custo da solução para as empresas, já que o valor de ativos como mobiliário não justificariam o gasto com solução de TI para elas, Almeida frisa que o software não se baseia no custo do ativo e sim na eficiência oferecia para controlá-los.

De acordo com a desenvolvedora, a solução é capaz de diminuir até 99% do tempo que uma organização gasta checando a localização de seus ativos.

"Para empresas de médio e grande porte, o Ativis é uma boa notícia para os CFOs e controllers. Considerando o endurecimento das normas contábeis e das regras do SPED no país, é um momento bastante oportuno para as empresas reavaliarem seus processos atuais", pontua Almeida.

Criada em 2010 pelos empresários Antonio Rossini Junior, Lucas Almeida e Matheus Costa no Cietec-SP, a Nexxto foi no seu ano de fundação a 2ª melhor startup do Brasil pelo Desafio Brasil, organizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).