Charlie Scharf. Foto: divulgação.

A Visa anunciou nesta quinta-feira, 04, em uma manobra inédita para impulsionar seus negócios de transações eletrônicas, a criação do Visa Developer, plataforma aberta para desenvolvedores criarem aplicações sobre a rede da operadora de pagamentos.

O programa oferece acesso a diversos serviços e tecnologias da Visa, como autenticação de portadores de cartão, pagamentos P2P (pessoas para pessoas) e serviços de segurança para pagamentos no ponto físico e online, como o Visa Checkout, conversão de moeda e alertas de transação.

A Visa planeja disponibilizar acesso para mais capabilidades de pagamento no decorrer do próximo ano. Segundo a companhia, a solução foi desenvolvida com a missão de ajudar instituições financeiras, comércios e empresas de tecnologia atenderem às necessidades dos consumidores e dos próprios comércios.

A visão da empresa inclui também a criação de um marketplace onde milhares de instituições financeiras, milhões de comércios e e empresas de tecnologia poderão colaborar, compartilhar e buscar serviços e aplicativos de comércio digital.  

“Temos a oportunidade de transformar o comércio global ao permitir acesso à nossa rede, dando suporte para nossos clientes, parceiros e inovadores na busca da criação de novas formas de pagamentos mais rápidas e seguras”, explicou Charlie Scharf, CEO da Visa.

Nos últimos meses, empresa internacionais como Capital One, Emirates, Facebook, National Australia Bank (NAB), Stripe, TD Bank e TSYS experimentaram a plataforma.

Entretanto, a Visa também está de olho em novas empresas tecnológicas de serviços financeiros - as chamadas fintechs - para fazer uso da novidade. De acordo com um estudo recente realizado pela Accenture, os investimentos em Fintechs atingiram mais de U$12 bilhões no mundo em 2014.

Para impulsionar ainda mais o engajamento no uso do Visa Developer, a empresa anunciou a criação de centros de engajamento para a solução. San Francisco já tem um em funcionamento, e Dubai, Cingapura, Miami e São Paulo terão centros em breve.

“Estamos separando a suíte de produtos e serviços para conceder aos desenvolvedores livre acesso ao nosso portfólio. Acreditamos que isso vai levar à criação de novas experiências de comércio, permitindo maior segurança , escala e conveniência na hora de pagar”, disse Rajat Taneja, VP executivo detecnologia da Visa.

Para analistas, a decisão da Visa em tornar suas tecnologias abertas é uma mudança significativa no cenário de pagamentos eletrônicos. Para a consultoria internacional Ovum, a empresa está disponibilizando todas as duas capacidades diretamente para o ecossistema global, consolidando seu lugar no futuro do e-payment.

"Enquanto muitos bancos tradicionais estavam receosos quanto à Visa ser um player de tecnologia em vez de apenas um provedor de rede de pagamentos, o Visa Developer vai estender o alcance da empresa para desenvolvedores de todos os tipos, de startups até gigantes da tecnologia", afirmou Gilles Ubaghs, analista sênior de serviços financeiros da Ovum.