O Banco Fibra migrou seus 350 colaboradores para o modelo de home office com a Fortinet. Foto: Pexels.

O Banco Fibra, instituição B2B focada em grandes e médias empresas dos setores de agronegócio e corporativo, adotou as soluções FortiGate e FortiClient, da Fortinet, empresa especializada em segurança, para migrar 100% de sua equipe para o modelo home office.  

Antes da pandemia, o Banco Fibra já era cliente da Fortinet, mas com o objetivo de utilizar as ferramentas da empresa para fornecer segurança de rede e endpoint e melhorar sua eficiência operacional. 

Com o início da quarentena, a instituição optou por utilizar as duas soluções também na implantação das Virtual Private Networks (VPNs) necessárias e migrar a força de trabalho para o trabalho remoto.

Segundo o banco, muitas adaptações foram necessárias para que fosse possível atender às demandas tecnológicas individuais dos funcionários no novo modelo pois, apesar de ter uma transformação digital em andamento, a instituição não tinha uma política clara de home office. 

“A pandemia do coronavírus pegou a todos de surpresa. Houve um período de adaptação e de mudança de mentalidade para abraçar esse novo modelo”, conta Lucas dos Santos Alves, engenheiro de rede do Banco Fibra.

Além da migração para home office, o banco fez a integração das soluções com o sistema de logging e reporting do FortiAnalyzer, que permitiu à equipe de TI acessar funcionalidades que garantem controle total sobre as atividades do usuário.  

De acordo com o Banco Fibra, um dos desafios do projeto foi garantir o funcionamento da solução de softphone nas VPNs, pela sua integração ao aplicativo de gerenciamento de relacionamento com o cliente, o CRM. 

“Contamos com a equipe de suporte da Fortinet para entender nossa situação particular, mapear nossas soluções e identificar protocolos. Conseguimos ter 100% de nossas operações no modelo home office, evitando grandes impactos e mantendo a qualidade do atendimento”, destaca Alves. 

Para o futuro, o banco considera expandir sua VPN para obter mais redundância e disponibilidade, além de aumentar o perímetro de segurança para data center, fornecendo mais escalabilidade e melhor uso de recursos em cloud em um formato seguro.

Fundado em 1988, o Banco Fibra conta com 350 colaboradores e registrou lucro líquido de R$136,6 milhões em 2019.

Já a americana Fortinet foi fundada em 2000 e tem soluções em mais de 455 mil organizações, contando com mais de 7 mil empregados. A empresa faturou mais de US$ 2,6 bilhões em 2019.