Vá para a Inglaterra. Ou não. Foto: divulgação.

Para quem tem planos de viajar para o Reino Unido no futuro, um plano do Ministério do Interior britânico pode dificultar este processo. O governo estuda a criação de normas mais rígidas para a liberação da entrada no país.

Atualmente, visitantes brasileiros apenas recebem restrições para a entrada no país, podendo ficar seis meses sem a necessidade de visto. No entanto, a ministra do interior Theresa May planeja criar uma política de vistos para diminuir o número de imigrantes ilegais no país, destaca o Financial Times.

A proposta de May, em conversações nos gabinetes do governo, pontua tensões do país em relação à procura pelo crescimento econômico e a necessidade de elevar a conscientização pública sobre as políticas de imigração.

Segundo dados levantados pelo ministério do interior em 2011, os brasileiros ocupam a quinta colocação no ranking de imigrações ilegais no Reino Unido, com mais de 2 mil extradições. É o único país na lista em que os visitantes com estadia curta não precisam de visto.

No entanto, outros ministro tem receio de que as restrições poderão minar as relações da Grã-Bretanha com o Brasil, um mercado com alto potencial de negócios para o país, com visitantes e turistas interessados em gastar seu dinheiro em território britânico.

Atualmente, o país já enfrenta críticas de companhias de turismo e varejistas sobre as restrições impostas aos visitantes chineses, por exemplo.

Enquanto a Inglaterra trabalha em frear a presença dos brasileiros, outros países, como Estados Unidos e Austrália trabalham para facilitar a entrada destes turistas em seus territórios.

Para ter uma ideia, em 2012 brasileiros gastaram lá fora cerca de US$ 16 bilhões a mais do que visitantes internacionais gastaram por aqui, um dado atraente para o turismo destes países.

Recentemente a Austrália liberou via seu site um sistema facilitado de solicitação e liberação de vistos.

Por parte dos EUA, está em andamento a criação de novos consulados, inclusive em Porto Alegre, agilizando a expedição dos vistos. Cogita-se inclusive o fim do visto para a entrada de brasileiros em território ianque.

Na Inglaterra, as políticas divergem, segundo destaca o diário britânico.

Para Simon Walker, diretor do Institute of Diretors, em Londres, não adianta o primeiro ministro David Cameron dizer que o Reino Unido é um terreno fértil para negócios, se seus ministros estão minando suas ações.

"É um grande retrocesso", dispara Walker.