Luís Fernando Saraiva, futuro CEO da Sqed. Foto: divulgação.

Luís Fernando Saraiva, diretor de pesquisa e desenvolvimento da HPE, prepara-se para deixar o cargo nos próximos meses e assumir o posto de CEO da Sqed, startup de tecnologia fundada por ele e outros empreendedores em 2018.

Há 14 anos na HP, sendo cinco no posto atual da HPE, o executivo fez o anúncio oficial da troca de gestão da operação de P&D na última semana. 

“Encerro esse ciclo na HPE com um orgulho imenso de termos juntos construído um lugar não para trabalharmos, mas para nos divertirmos fazendo aquilo que gostamos. Agora, meu foco é desenvolver o Sqed, que vem tendo uma ótima receptividade junto a usuários, empresas e instituições”, afirma Luís Fernando Saraiva, futuro CEO da Sqed.

Ao lado de Saraiva, estão os sócios Pedro Cirne Lima, advogado, e Eduardo Cheffe, publicitário.

Já nos Estados Unidos, atuam Anelise Nascente e Fernando Tessari, que moram em Santa Bárbara, na Califórnia, e também são fundadores da e-Bikery, startup de aluguel e venda de bicicletas elétricas. 

Com uso de tecnologias como internet das coisas e machine learning, o Sqed é um aplicativo de organização e comunicação, com notas, listas e lembretes, trazendo funcionalidades como captura de informações e compartilhamento via redes sociais.

Para a captura de informações, há o SqedCode, que pode ler itens como a embalagem de um produto, um anúncio de revista ou jornal, displays, cartazes, a tela da TV ou do computador.

Outra funcionalidade é a possibilidade de gerar uma nota a partir de informações veiculadas no Whatsapp.

A startup já recebeu investimentos de cerca de R$ 500 mil e, neste momento, está buscando o round de investimento anjo. Além disso, há negociação com uma empresa americana para investimento no negócio.

Segundo a empresa, a expectativa para o final de 2020 é de 600 mil downloads, já com a nova geração Blue do Sqed, que estará disponível no início de março e traz novidades em relação à versão atual.

O aplicativo, que serve para usuários e empresas, já é utilizado por instituições como ABRH, Fábrica do Futuro, Pacto Alegre e o Tecnopuc.