Na lista, estão capitais como Goiânia, Salvador e Manaus. Foto: divulgação.

A 99Food, plataforma da startup para intermediação de entregas, anunciou a expansão para 12 novas cidades brasileiras.

Na lista, estão as capitais Teresina, Goiânia, Salvador, Manaus, Fortaleza e Aracaju, além de cidades estratégicas em outros estados.

Entre elas, estão: Varginha, em Minas Gerais; São José dos Campos e Santos, em São Paulo; Niterói, no Rio de Janeiro; Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco; e Canoas, no Rio Grande do Sul.

O serviço já está disponível para os clientes em Varginha, seja através do aplicativo 99Food ou dentro da plataforma de corridas. 

As demais cidades estão em fase de cadastro dos estabelecimentos interessados e, para os consumidores, o serviço deve ser disponibilizado nas próximas semanas.

"Enxergamos o potencial de crescimento dos pequenos estabelecimentos, a riqueza e a diversidade da gastronomia local das diferentes regiões do Brasil e, por isso, estava nos nossos planos expandirmos para outras cidades do país, trazendo para plataforma mais opções para escolha dos clientes", afirma Danilo Mansano, diretor geral da 99Food.

Para agilizar o processo de registro, a empresa lançou a ferramenta de auto cadastro para estabelecimentos através do site.

Nas próximas semanas, a 99Food ainda vai disponibilizar um assistente virtual via WhatsApp para complementar ao auto cadastro.

O segmento de entregas é novo para a 99, que entrou no mercado no final do ano passado.

Até agora, a companhia estava presente somente em mais duas capitais do Brasil: Belo Horizonte e Curitiba, onde também tem a categoria de entregas para farmácias.

De acordo com a mais recente pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box, lançada em setembro do ano passado, o mercado de delivery de comida é amplamente dominado pelo iFood, apontado como favorito por 71% dos usuários. 

O concorrente mais próximo é o Uber Eats, preferido de 8%.

No segmento de corridas de automóveis, a 99 se recuperou desde que foi vendida para a chinesa DiDi. 

Em 2019, antes do cenário de crise, passou de 13% para 22% como app favorito dos brasileiros para essa finalidade. 

No mesmo intervalo, o Uber caiu 10 pontos percentuais, mas continuava liderando, apontado como favorito por 73% dos usuários desse tipo serviço.