A Monsanto busca startups que estejam criando inovação tecnológica para o agronegócio. Foto: Pexels.

A Monsanto ingressou em um Fundo de Investimentos em Participações (FIP) focado em startups brasileiras da BR Startups. Com o aporte da Monsanto, o fundo passará a investir em startups que estejam criando inovação tecnológica para o agronegócio.

A seleção para a nova rodada de investimentos, de R$ 250 mil a R$ 1,5 milhão por startup, vai até o dia 7 de agosto de 2016. Para participar, as startups focadas em agricultura com pelo menos dois sócios e faturamento anual entre R$ 300 mil e R$ 10 milhões devem se inscrever pelo site.

O objetivo da Monsanto é acelerar a inovação na agricultura brasileira e dentro da própria empresa, por meio do investimento e da interação com os empreendedores. Além de contribuir com seu investimento no fundo, a Monsanto dividirá com as startups o conhecimento e experiência no agronegócio brasileiro.

“Acreditamos que a colaboração é uma ferramenta fundamental para que o mundo consiga alimentar 9,7 bilhões de pessoas em 2050, e este é um passo nessa direção”, disse o presidente da Monsanto para a América do Sul, Rodrigo Santos, durante o Global Agribusiness Forum. 

O fundo BR Startups foi criado pela Microsoft Participações, holding de investimentos lançada em 2012 para realizar investimentos estratégicos relacionados ao fomento à inovação e ao empreendedorismo, em conjunto com a Qualcomm Ventures, a ES Ventures (Portugal) e a Agência de Fomento do Estado do Rio de Janeiro (AgeRio).

O foco do fundo é em empresas que já passaram por um processo de aceleração, mas que ainda não têm porte suficiente para acessar o mercado de venture capital série A. O fundo é gerido pela MSW Capital. 

“Ao integrar a Monsanto ao seu time de cotistas corporativos, o fundo BR Startups se fortalece como principal veículo estratégico de corporate venture no Brasil e ganha o conhecimento e a parceria da líder mundial em tecnologia agrícola, impulsionando um setor chave da economia brasileira”, afirmou o gestor do fundo, Moises Swirski.

Nos Estados Unidos, a Monsanto mantém o fundo de investimentos Monsanto Growth Ventures (MGV), o braço de venture capital da empresa, que anunciou seu primeiro portfólio de investimento em janeiro, com startups em áreas chave da produtividade agrícola, agricultura digital e produtos biológicos. 

Além disso, a empresa demonstra interesse em tecnologia na sua operação. A gigante norte-americana do setor agrícola anunciou em 2013 a aquisição da Climate Corporation, focada em big data, em um negócio de US$ 1,1 bilhão.

Criada em São Francisco em 2006, a Climate Corporation emprega algoritmos de inteligência artificial para reunir informações de clima e aplicá-las ao uso na agricultura.