Fundo selecionou startups que utilizam a plataforma do MercadoLivre a partir de suas APIs.

O MercadoLivre selecionou as primeiras empresas que receberão o aporte financeiro do MercadoLibre Commerce Fund. As escolhidas são Intoo, 00K e AirCRM.

O fundo criado em 2013 tem o objetivo de destinar um total de US$ 10 milhões para o financiamento de startups que melhor utilizem a plataforma do MercadoLivre a partir de suas APIs (Application Programming Interface).

A seleção realizada em parceria com a Wayra, iniciativa global da Telefônica para apoio e promoção de startups, identificou projetos tecnológicos que, a partir do uso das APIs MercadoLivre, poderiam contribuir para todo o ecossistema da empresa: MercadoLivre, MercadoPago, MercadoShops, MercadoEnvios e MercadoLivre Publicidade.  

Além disso, também procurou identificar empreendimentos ainda em etapa inicial, mas que demonstram perspectivas de crescimento.

A Intoo é plataforma online para facilitar o acesso das pequenas e médias empresas ao sistema financeiro. Nascida em 2013, a empresa conecta vendedores do MercadoLivre em busca de crédito a uma rede de bancos e instituições financeiras que podem oferecer o dinheiro necessário.

Arthur Farache, co-fundador e CEO da Intoo, é formado em direito pela Universidade de Fortaleza. Com especialização na área financeira, passou pelo Geração Futuro Investment Bank e atuou como advogado no Citi Bank por quase dois anos.

O co-fundador e CFO da Intoo, Bruno Oliveira Maggi, é mestre em direito pela USP. 

A 00K, fundada em 2012, criou uma solução para automatizar as vendas no marketplace, proporcionando maior organização. Os vendedores podem utilizar ferramentas de gestão de anúncios, controle de vendas, controle de perguntas e respostas até gestão de logística.

O CEO da 00K é Cyllas Elia. Graduado em sistemas de informação, ele tem especialização em segurança de informações pela FIAP e marketing pela ESPM.

A AirCRM, fundada em 2013, desenvolveu também uma plataforma de gerenciamento de vendas. Com foco no pequeno e médio vendedor do MercadoLivre, a empresa lançou um sistema para administrar todas as operações dentro do site. 

O CTO da empresa, Gullit Miranda, já foi desenvolvedor do CasaNoMapa e do ProprietárioDireito. Desde 2011 atua como CEO, consultor de tecnologias, analista e desenvolvedor da Requestdev Sistemas, de Rondônia.

Além do apoio financeiro do MercadoLivre, as empresas também recebem investimento da Wayra e passam por um processo de aceleração dentro da Academia Wayra, contando com mentoria e apoio técnico para o desenvolvimento dos projetos.