Ana Roberta Michels. Foto: divulgação.

A Wolters Kluwer Prosoft, braço nacional da holandesa Wolters Kluwer após a compra da paulista Prosoft, anunciou a abertura de uma filial em Joinville para reforçar sua presença no sul do país.

Sem dar detalhes do investimento realizado na nova unidade, a empresa contará com 15 pessoas na filial, com foco nas divisões comercial e de desenvolvimento de software.

Na filial catarinense, a companhia contratou profissionais experientes no setor para suas fileiras. Por exemplo, Romeu Gadotti, ex-Linx, é o coordenador de desenvolvimento de software, e Ricardo Cardoso, ex-OpenTech e Totvs, é arquiteto de informação.

Segundo o presidente da Wolters Kluwer Prosoft no Brasil, Carlos Meni, o objetivo é continuar abrindo caminho no mercado de TI, principalmente no momento em que as empresas estão aplicando recursos para se adaptar, por exemplo, ao Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) e ao eSocial.

De acordo com levantamento da própria Wolters Kluwer Prosoft com 1.310 escritórios de contabilidade e 106 departamentos contábeis-financeiros, 45% admitiram não ter planos de promover investimentos adicionais para se adaptar ao eSocial.

Outro grande grupo (46%) pretendem desembolsar até R$ 10 mil e só 7% preveem alocar entre R$ 10 mil e R$ 50 mil para se adaptar ao eSocial.

Com o investimento em Joinville, o foco da empresa européia se assemelha ao de outra multinacional que também investiu em unidade local na região. Em 2012, a norte-americana Thomson Reuters investiu cerca de R$ 1 milhão em um centro de desenvolvimento da empresa, também em Joinville.

Meni explica o interesse na cidade catarinense, que fica a cerca de 180 quilômetros de Florianópolis. Segundo ele, é um município promissor, um polo tecnológico com a presença de diversas desenvolvedoras de softwares.

“Paralelamente, a região tem disponibilidade de mão de obra qualificada para atender aos padrões buscados por nossa empresa”, explica o executivo.

A Wolters Kluwer comprou a Prosoft em março de 2013, por um valor não divulgado. Com 800 colaboradores, a Prosoft atende em todos os estados do país, e oferece soluções para contabilidade, folha de pagamentos, gestão e arquivamento de documentos utilizadas por mais de 150 mil usuários.

De acordo com Ana Roberta Michels, gerente administrativa da Wolters Kluwer Prosoft, o plano para novas unidades da empresa veio no rastro de um novo projeto de expansão e consolidação da companhia, realizado no ano passado, depois da compra da Prosoft.

"Além da operação em Joinville, que foi iniciada em janeiro, abrimos uma filial em Curitiba em abril. Além disso contamos com atendimentos em cerca de cinquenta franqueados em todo o país", destacou a executiva. A empresa não deu detalhes sobre metas de expansão ou investimento total realizado para crescer no país.

Se localmente a empresa não abre seus números, em 2013, a Wolters Kluwer registrou receita de € 3,6 bilhões (US$ 4,9 bilhões). Atualmente, possui mais de 19 mil colaboradores em todo o mundo e mantém operações em mais de 40 países na Europa, América do Norte, Ásia-Pacífico e América Latina.