Apps para Android e iOS com faturamento em alta. Foto: flickr.com/photo/@N03

Apps mobile podem ter receita de US$ 36 tri em 2013

Uma pesquisa realizada pela Delta Partners, mostra que até metade de 2013, um bilhão de pessoas terão acesso a aplicativos móveis, podendo gerar receitas de até US$ 36 trilhões para sistemas como Android e iOS.

A pesquisa “Posicionamento das operadoras de telecom na economia dos aplicativos” revela que o potencial econômico desses Apps gera receitas para diversos setores da economia, como de TI, bancário, telecom, entre outros.

A pesquisa ainda afirma que a metade do PIB mundial está sendo transformado por uma nova cadeia de valores: baseado na largura da banda e acessibilidade.

Os aplicativos móveis reinventaram a indústria do entretenimento, e por outro lado, as operadoras de telecom ficam com o desafio de saber aproveitar as oportunidades dessa nova indústria.

ESTRATÉGIAS

O estudo observa as estratégias desenvolvidas pela Apple, Google e outras líderes em tecnologia e analisa as chances das operadoras de telecom garantir uma quota dessa nova cadeia de valores.

"As operadoras e empresas de tecnologia precisam entender-se muito bem para definirem estratégias vencedoras. A vencedora irá variar dependendo do tipo de mercado e dos agentes envolvidos", diz João Sousa, parceiro da Delta.

A pesquisa diz que é preciso começar tendo concentração e esforço e se posicionar como operadoras de “linha inteligente e eficiente”.

O estudo ainda reforça que a estratégia “Operadora 2.0”, atualmente seguida operadoras de todo o mundo, pode continuar como uma miragem, pois nos mercados mais desenvolvidos as operadoras focadas em ofertas de serviços fixos podem adicionar serviços de TIC no seu portfólio.

Os mobile ainda patinam para se posicionar nesse mercado 2.0, de aplicativos móveis, o que resulta nos preços da banda larga e uma batalha forçada para transmissão de dados.

AINDA MAIS

Estimativas mostram que em pouco tempo o mundo terá 3 bilhões de pessoas acessando a internet e 20 bilhões de dispositivos móveis conectados.

Esses resultados serão gerados pela mudança rápida que a conectividade proporcionou a população mundial e ao poder de consumo.

O relatório detalha como motivos do crescimento futuro, a velocidade da banda larga fixa e móvel, que possibilita conexão à internet em qualquer lugar e hora, aceleração do mercado.

Outro fato é o crescimento da população “bancarizada”, que já chega a 2,5 bilhões de adultos, sendo 0,8 bilhões proprietários de cartões de crédito.