Claudio Tancredi.

Claudio Tancredi, ex-VP de Oracle Retail no Brasil, acaba de assumir o cargo de country manager da Hitachi Vantara no país.

Formada no ano passado, a Hitachi Vantara reuniu em uma só empresa a Hitachi Data Systems, sua antiga companhia de armazenagem de dados; a Hitachi Insight, focada em Internet das Coisas e a Pentaho, dona de um produto open source de análise de dados e adquirida pelos japoneses em 2015.

O objetivo da fusão é entregar projetos envolvendo tecnologia operacional e a camada análitica necessária para extrair inteligência dos dados gerados pelos equipamentos industriais vendidos pela Hitachi. Unir TI e TO, como se diz hoje em dia.

Tancredi substitui Cristina Brisola, que assumiu como country manager da então Hitachi Data Systems em abril do ano passado, mas deixou a empresa para ir, veja só, para a Oracle.

O perfil de Tancredi parece estar mais alinhado com o novo posicionamento a empresa que o de Cristina, que é uma executiva com experiência no mercado de TI. 

Pelo lado de TO, Tancredi começou a carreira em 1995 como engenheiro de aplicação na Intergraph, uma fabricante americana de softwares para engenharia como CAD, CAM, CAE e PDM.

Depois, Tancredi foi engenheiro de contas da Siemens PLM, divisão da gigante alemã que adquiriu o produto de CAD da Sisgraph, atuando em projetos em grandes indústrias.

Ele estava há seis anos na Oracle, onde entrou como diretor de vendas de tecnologia da empresa em 2012.

Só depois ele seguiu carreira na área de TI, com passagens posições sênior na área de venda da HP e Infor e como diretor de vendas do negócio cloud da SAP na América Latina.

O profissional é graduado em Engenharia Mecânica, um MBA pela FIA-USP e extensões em Vanderbilt e Cambridge. 

"A reputação do Cláudio no mercado nos dá a confiança de que ele vai desempenhar um papel fundamental para os nossos clientes e para novos negócios na região", diz Sergio Severo, vice-presidente e gerente geral LATAM da Hitachi Vantara.

Severo é ele mesmo novo no cargo. O ex-VP para Core Industries da SAP para América Latina, assumiu como vice-presidente e gerente geral para a América Latina da Hitachi Vantara em fevereiro.

Com a Hitachi Vantara, os japoneses reforçam sua competição com empresas como HPE, IBM e Lenovo, com a vantagem de ter uma compreensão maior de mercados verticais tão diferentes quanto finanças, governos, manufatura, energia e transportes onde ela mesma é um player.

“Somos a única empresa que une mais de um século de experiência em tecnologia operacional e da informação confiadas aos ambientes corporativos com maiores demandas”, afirma sem modéstia o CEO da Hitachi Vantara, Ryuici Otsuki. 

A nova empresa nasce com vendas anuais de US$ 4 bilhões e 7 mil funcionários. São valores altos, mas uma gota d’água no mundo da Hitachi, que faturou US$ 81,8 bilhões no último ano fiscal e tem 304 mil funcionários em todo o mundo.

Além disso, a verdade é que outros grandes players tanto do lado de tecnologia operacional como de tecnologia de informação não estão parados.

Nos últimos anos, empresas como IBM, Intel, AT&T e GE se uniram para formar um consórcio focado em industrial, visando criar padrões abertos de interoperabilidade que em tese diminui a vantagem de um player como a Hitachi de ter uma solução de ponta a ponta.

Movimentações individuais também estão acontecendo: a HPE fechou um acordo com a GE e a Microsoft com a ABB, ambos com o mesmo foco em integração de máquinas e tecnologias de análise de dados na nuvem.